Nikujaga (Cozido de Batata e Carne)

nikujaga

Para Fabricia Osada.

Ela me pediu uma receita de nikujaga. Este é um prato muito comum nas refeições domésticas. Simples, reconfortante, quente. No entanto, tenho receio que minha receita não agrade, porque são milhões de donas-de-casa e bilhões de lembranças de refeições. Sinta-se livre para adicionar mais ou menos açúcar, um pouco mais de sal ou shoyu. Eu prefiro o meu clarinho, mas muitos usam bem mais shoyu e o prato fica escuro.

Nikujaga

100 a 150 gramas de carne de porco ou boi, fatiado fino e cortado em pedaços irregulares

1 cebola média

1 colher de óleo

3 a 4 batatas, descascada, cortada em pedaços de 3 a 4 cm de lado

4 colheres de sake

1 cenoura pequena cortada em pedaços de 2 cm, triangulares (trabalhando com a diagonal, corte e role a cenoura) ou em rodelas.

4 a 5 colheres de shoyu

1 colher de açúcar (ou mais, se preferir)

3 xícaras de dashi ou água e um pouco de hondashi ou kombudashi instantâneo

Um pouco de ervilhas frescas ou congeladas ou algumas ervilhas-tortas sem fibras, inteiras se pequenas ou cortadas, se forem muito grandes

Refogue a carne e a cebola com o óleo, até as cebolas ficarem transparentes e a carne, perder a cor avermelhada. Junte o caldo ou água e hondashi, sake, shoyu e açúcar. Adicione as batatas e cenouras. Deixe ferver. Retire com uma colher ou concha a espuma que se formar. Abaixe o fogo e cozinhe até que as batatas fiquem macias, porém, sem desmanchar. Junte as ervilhas, tampe e deixe descansar por 10 a 15 minutos, para que o caldo seja absorvido pelas batatas. Quanto ao tipo de batata, há quem prefira as do tipo mais firme e outras, do tipo mais farinhento. Eu prefiro esse último, mas é uma questão de gosto.

Share This Post

7 comentários em “Nikujaga (Cozido de Batata e Carne)”

  1. Deliciosa…..Muito boa mesmo!!!! Sempre tentei fazer mas nunca consegui que ficasse com esse gostinho de nikujaga tradicional rsrsrsr!!! Recomendo

  2. Muito gostosa a receita!
    Eu experimentei fazer uma infusão com um pouco de gengibre ralado na água, antes de adicioná-la à panela e também troquei o óleo comum por óleo de gergelim, e o resultado não desaponta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *