Castanhas

Shibukawa

Eu cresci ouvindo meu pai dizer maravilhas sobre as castanhas assadas e que minha avó gostava muito de arroz com castanhas. As castanhas assadas, fui comer só em Kashiwa, província de Chiba. Um vendedor misturava com uma pá seixo miúdo e castanhas pequenas. Aquilo tinha um aroma muito doce. Gostaria de poder tirar uma foto dessa lembrança. As castanhas, a fumaça doce, a neve e aquela alegria simples.

Tenho impressão que o brasileiro, de uma maneira geral, não consome castanhas, fora o Natal. Vi castanhas para vender, produção nacional, durante todo o mês de fevereiro, na feira, a apenas 8 reais o quilo. Na Liberdade (SP), vi a 4,50 reais o pacote com meio quilo. Não parecia que houvessem muitos interessados. A safra continua março afora, dependendo do ano.

Além das castanhas assadas, do arroz com castanhas, os japoneses também usam as castanhas para fazer doce com gelatina (yokan), recheiam bolinhos assados com pasta de castanhas (kuri-manju) e cozinham na calda. A foto acima é do kuri shibukawa ni, um prato do qual só vi uma citação em um livro. Semelhante ao marron glacé, é de preparado demorado. A casca é retirada, mas a película é mantida, dando uma aparência mais “natural”. O problema é que essa película é amarga e, para retirar esse amargor, são dois dias de trabalho. Perguntei para parentes e ninguém conhecia. Confesso que, enquanto fazia, sentia-me um tipo de arqueóloga culinária. A receita, bem… Talvez eu publique em um livro, um dia. E o tanino das cascas acabaram com uma camiseta minha… Ela está irremediavelmente manchada de marron.

Share This Post

2 Comments

  1. Marisa, estamos em plena estação de castanhas aquí – afinal é outono – e o quilo nas feiras e supermercados está em torno de 2,50 a 3,50 euros. Sua culinária remonta ao período medieval, e neste período, vc as vê nas ruas, assadas sobre chapas ou em panelas chatas, como aquelas usadas para paellas. Vc encontra nas banquinhas e carrinhos, e como aquí não faltam turistas japoneses – milhares deles, por 365 dias do ano! – o faturamento é garantido,rs. Vc não vê um japonês que não compre um saquinho destas castanhas assadas, cujo perfume se espalha por vários quarteirões. Não se vê tbém um japonês que não abra um sorriso largo de conforto, feliz por encontrar castanha assada longe do próprio país. De setembro pra frente, as famílias, jovens e idosos vão às montanhas catar castanhas nos fins de semana, e muitos levam consigo o equivalente ao bentô local. (E depois, tem a temporada de cogumelos). É uma diversão muito saudável que une todas as idades. Ah, já no Japão, gosto de kuri-gohan, hummmm… Vc tem razão. Os brasileiros poderiam alargar o seu uso mesmo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *