Mitos Alimentares de Outros Tempos

Geléia de Mocotó

Quando eu era criança, minha mãe me fazia comer geléia de mocotó da Colombo a colheradas. Acreditava que era fortificante (bem, na verdade, eu era mais que forte, era obesa). “Açúcar é Energia” era um slogan popular na época. Espinafre ia para o meu prato sob a alegação que era rico em ferro. Achocolatados eram misturados à minha garrafa de leite (pois é, sou ainda do tempo em que leite vinha em garrafas), enriquecendo de vitaminas, sais minerais e energia: Toddy, Muky, Nescau. Maçã, importada da Argentina, era luxo, mas que eu comia de vez em quando, porque era “rico em fósforo” e fósforo era ótimo para o cérebro.  Margarina engordava menos que manteiga.

E vocês? O que comiam quando criança porque diziam que fazia bem?  Que propagandas vocês se lembram?

Share This Post

19 Comments

  1. Seu blog é ótimo! Me interesso especificamente pela culinária japonesa. Ele é muito completo! Achei várias informações novas.
    Parabéns e obrigado!

  2. tem dois outros que eu ouvi recentemente e que quase me mataram de rir:
    – aji-no-moto faz ficar inteligente
    – um umeboshi tem TODOS os nutrientes necessários para um dia inteiro

  3. Marisa Ono

    Ué. Quando é que o glutamato passou de vilão a mocinho, Myrna?
    Claro que um umeboshi tem todos os nutrientes para um dia inteiro. De um marciano, provavelmente. Faltou especificar a espécie… 😉

  4. Ah, eu ouvi recentemente, mas creio que sejam coisas antigas. Ouvi os dois num curso de etiqueta japonesa. Esse do umeboshi, por exemplo, suponho que seja pelo menos da época da Segunda Guerra Mundial. A lenda é que, por causa do (suposto) alto valor nutricional, o governo japonês saiu batendo nas portas das casas para pegar os umeboshis das famílias e mandar para o front, para alimentar os soldados.
    Mas considerando que nunca apodrece, era o melhor que se poderia mandar ao front mesmo.

    Já o do aji-no-moto, a professora do curso comentou en-passant apenas. O mais engraçado é que eu contei a título de piada em uma reunião “colonial” e ainda apareceu uma explicação: “quando era feito de peixe, deveria fazer bem sim, mas agora que é de cana…” HUAIAHUAUAHAHAHA

  5. Fátima

    EU TOMAVA CARACÚ…..UMA BEBINA QUASE IGUAL A CERVEJA PRETA BATIDA COM GEMA DE OVO…. E TINHA QUE COMER TAMBEM FARINHA COM GEMA E AÇUCAR QUE ERA OTEEEMO PARA FORTIFICAR…lksldjshduiehdj Hj meu filhos comem se quizerem….e são mega ultra saudadeis!!! vAI ENTENDER…NÉ…KKKKKKKKKKKKKKKKKKKK BEIOS

  6. Marisa Ono

    Tinha gente que recomendava leite de cabra porque era “mais forte” e licor antes do jantar “para abrir o apetite”. Como se eu precisasse…

  7. Nestor

    Eu tinha que comer em grande quantidade o tutano de canela de boi (matéria que preenche as cavidades ósseas; medula) batida com sal no lugar da manteiga, era tradição da família paterna para os meninos, acreditava-se que fazia homes mais viris, o que notei diferente de outras famílias é que na nossa há um índice maior de problemas cardíacos nos homens eu sofro de bradicardia.

  8. Humberto De Alencar Garcia Barros

    Eu era obrigado a tomar óleo de fígado de bacalhau, esse foi o pior do blog em matéria de sabor !KKKKK

  9. Marisa Ono

    Felizmente eu não passei por isso, apesar de ser da geração que criança tinha que ser gorda para ser saudável…

  10. Isaura

    Conversei com um ortopedista meio da velha guarda e ele disse que as novas gerações perde muito em não comer o mocotó bovina que é excelente para quem tem artrose
    como é o meu caso .. tenho um inicio de desgaste das articulacoes . Isso dá muita dor e fez-me para ou reduzir os esportes como bicicleta que adoro…
    Como fazer para me restabelecer . Estacionar ddesse processo… Quero comer o boi todo se for preciso ….
    Mas quero ter minhas articulações saudáveiis… Como preparar um bom MOCOTO?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *