Wantan

Coznhar para os outros é uma coisa completamente diferente de cozinhar para mim. Apesar de até gostar de frituras, tem dias que preciso de algo leve e rápido. Um dos meus truques é ter sempre algo no congelador, de fácil preparo. Uma dessas coisas são os wantans (ou wonton). São massas recheadas, feitas só com farinha, água e sal, recheadas com carne de porco ou camarão, que são cozidas diretamente em um caldo leve de frango.

Para a massa, uso farinha comum. Ao contrário das massas italianas, o wantan não leva farinha rica em proteína, já que o wantan é mais delicado e de consistência muito macia. Adiciono sal e água até formar uma massa firme. Amasso um pouco e enrolo. Deixo descansar por algumas horas. A massa vai relaxar um pouco. Depois cilindro, até que ela fique bem lisa e depois abro bem fino.

Para o recheio, uso carne de porco moída temperada com um pouquinho de alho, suco de gengibre, sal, pimenta do reino e umas gotas de shoyu. De camarão, uso camarão moído com um pouco de algum peixe de carne branca, para dar a liga.

Corto a massa em triângulos, coloco um pouco de recheio no centro, dobro uma ponta sobre a massa (e ficam duas pontas, uma de cada lado) e junto a massa, quase que como um tortelini, com a diferença que as pontas ficam soltas. O formato lembra um pouco uma flor, com o recheio, redondinho, no centro.

Congelo em uma assadeira, aberto, e depois passo para um pote ou saco plástico.

Na hora, aqueço um caldo bem delicado, feito com frango e um pouco de gengibre e cebolinha, sem gordura. Acrescento um pouco de sal e shoyu, só para ter um leve toque de cor. Cozinho os wantans congelados nesse caldo, até ficarem macios. Cebolinha picada completa a sopa. Duas gotas de óleo de gergelim dão um aroma extra, mas nem sempre uso.

Ah, sim, existem outras maneiras de dobrar um wantan. Uma, mais fácil, é cortar a massa em quadrados e dobrar como uma trouxinha. Embora seja de origem chinesa, essas massinhas são muito populares no Japão. Uma amiga acha que foram levados para o Japão pelos japoneses que estiveram na Manchúria, durante a Segunda Guerra Mundial. Mas é possível que tenha sido levada pelos chineses, mesmo, e há mais tempo.

Share This Post

3 comentários em “Wantan”

  1. Olá.
    Nunca comi um wantan. Achei este blog por causa de uma busca q fiz, justamente na tentativa de conhecer o wantan.
    Então, te pergunto: a massa é a mesma do Gyoza?
    Poderíamos dizer q é um Gyoza aberto? 😀

    Parabéns pelo blog!

  2. Obrigada!
    A massa de wantan é mais fina e delicada que a do gyoza. O recheio é mais consistente, ficando próximo ao de uma almôndega ou salsicha. Costuma ser servido em sopas, como o capeletti in brodo dos italianos, embora também possa ser frito em imersão, como nossos pastéis. Enquanto isso, o gyoza tem um recheio menos consistente, a massa é mais grossa e pode ser feito na chapa, no vapor ou frito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *