O Básico – Parte 2

espatulas

Continuando a série sobre itens básicos em uma cozinha: Eu simplesmente não sei viver ser uma espátula. Pode ser de borracha, plástico, silicone. Cara ou barata, não importa muito. As de silicone aguentam calor, é verdade. Mas para misturar massas ou raspar o restinho de uma massa da tigela, pode ser a de plástico mesmo. A menor é boa para tirar o finalzinho de maionese, mostarda ou outra coisa de um pote de boca mais estreita.

peneiras-e-escorredores

Peneiras e escorredores. As peneiras de nylon são baratas e funcionam bem. Só não resistem a altas temperaturas. Escorredores não precisam ser de metal, os de plástico cumprem a função e aguentam água fervente. Eu já escorri muita comida usando a tampa da panela e um pano de prato atravessado sobre ele. Garanto, até que funciona, mas já me queimei dezenas de vezes também. Usar um escorredor evita que eu encha de macarrão a pia e algumas queimaduras. O coadorzinho de chá também serve como peneira, uso para polvilhar açúcar sobre alguns doces. Para fazer anko (pasta de feijão doce) uso uma peneira de metal, que não consta na foto, que aguenta o tranco de amassar e espremer feijão e segurar a casca (pele, película) do grão.  E como é grande, uso também para peneirar amendoim torrado e tirar a pele (bem, faço isso umas duas vezes por ano).

cortador

Cortador de legumes: sim, dá para cortar tudo com uma faca afiada, mas eu não faço isso há décadas. O cortador de legumes fatia pepinos, rabanetes fininho para as conservas (asazuke). Prefiro o Benrinder, que uso há muitos anos (o primeiro modelo que tive era de madeira, há quase duas décadas). O modelo acima tem regulagem para espessura e vem com 3 lâminhas para cortar em tirinhas. Fácil de usar e de limpar. Não é o mais barato do mercado, mas dos modelos que usei, é o que é mais funcional e eficiente. Bem, nunca usei aquelas mandolinas caríssimas… Para obter tiras finas e não forçar os dentes das lâminas, é melhor ir trabalhando sempre na diagonal, girando a cenoura (por exemplo) e formando “pontas”, obtendo tiras não muito longas.

batedeiras

Não sou romântica na cozinha. Não acredito que um bolo batido à mão vai ser melhor que um batido na batedeira. Há 30 anos eu batia suspiros à mão e sei que não é uma tarefa agradável. Hoje, na maioria das vezes, uso a batedeira de mão. A batedeira com pedestal é útil quando vou fazer maria-mole ou algumas massas pesadas (usando o gancho para pão). A minha favorita é a branca, da Braun. Comprei em uma loja de usados e paguei, na época, apenas 10 dólares. Eu a tenho já há quase 10 anos.

Share This Post

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *