15 Comments

  1. Humm…caponata acrescida de alho negro deve ter nobilizado o prato. Realmente a caponata na geladeira é um curinga: pura; na massa; no pão e eu, no gohan,rs. Eu tbém cubro com azeite para evitar fungos e fazê-la durar bastante, mas confesso que acaba em 2 dias, rs. Qto ao manjericão, vc possui a qualidade italiana, o basilico de folhas grandes e tenras chamado “basilico foglia di lattuga” (ou lattuga basil) no seu quintal? É o mais perfumado, e se não possui, experimente plantá-lo, pois creio que não seja difícil encontrar sementes. Um potão de pesto de manjericão guardado na geladeira é como guardar o verão dentro dele,rs. Abraços.

  2. Marcia

    Oi Marisa,

    Que delicia essa caponata.
    Adorei essa espontanea graca em acrecentar os ingredientes.
    Adoro sua website.
    Faz tempo que sigo a tua cozinha, ela e riquissima, nunca postei
    comentario porque tambem sou muito jeca.
    E tenho um pedido, voce nao poderia publicar uma receita de yakisoba?

    Kind Regards.
    Marcia.

  3. Marcia

    Oi Marisa,

    Ainda sobre o comentario acima, esqueci……..
    Posso te dar deliciosas receitas italianas se voce quiser
    e claro, pois creio que voce nao tem dificuldades em encontrar
    suas fontes, mas e um humilde oferecimento de coracao.

    regards
    marcia

  4. Marisa Ono

    Bem, Marcia, acho que não cometi nenhum crime grave contra a caponata. Acredito que alguma italiana que tenha a felicidade de ter uma horta, provavelmente irá colocar coisas a seu gosto. O alho porro estava dando sopa em cima da pia. Na falta de balsamico, usei alho negro, que é adocicado…
    Você pode colocar as receitas aqui nos comentários, mesmo.

  5. Marcia

    Ola Marisa,

    Quando ofereci as receitas italianas, estava me referindo a outras receitas, pensei principalmente
    nos doces italianos, nunca vi uma receita da caponata italiana, adorei a sua caponata.
    Como perguntei se voce teria uma receita de yakisoba, ofereci sugeri que poderia de te dar alguma
    receita , digamos , em agradecimento a receita do yakisoba.
    Peco desculpas pelo mau entendimento.
    E repito, adicionei comentario porque adorei a sua caponata, muito , muito boa mesmo, e nao conheco
    nenhuma outra receita de caponata.

    Minha intencao , nada mais foi que te fazer um grande elogio
    Perdao se me expressei mal.

  6. Marisa Ono

    LuMa, esse manjericão é um de folhas largas? Conheço um chamado de sweet basil, alguns chamam de genovês. Temos plantado, andava feio por conta das chuvas. Agora que tem feito um pouco mais de sol parece que melhorou. É bem menos robusta que o outro, de folhas miúdas. Já plantei diversas vezes e perdi por conta de uma doença que dá na raiz e caule.

  7. Oi Marisa, esse manjericão, além de folhas largas e mais delicadas, são levemente onduladas, com um diâmetro de uns 4 cm. Eu planto em vaso, que faço crescer na janela,rs. O manjericão genovês tbém é excelente, e a diferença é que este, há folhas levemente menor e mais firmes. Não fosse a chuva, tenho certeza que o clima daí seja perfeito. Eu plantei no vasão, na casa da minha mãe em Mogi das Cruzes, e ele cresceu cerca de 1 metro!

  8. heloisa battioli

    comprei sementes de basílico genoves na itália,mas so floriu uma vez depois morreu. estou a procura do mesmo a muito tempo,gostaria de obter mudas ou sementes alguem pode me ajudar?. tenho kefir de leite para doar-nada a ver,mas quem conhece sabe que é ótimo,agradeçomuito,fui…..

  9. heloisa battioli

    oi..marisa vc é muito querida e atenciosa,obrigada pela gentileza…comprei mudas de basílico no embú das artes, por enquanto estao vivinhas e bonitas.

  10. Elaine Capuani

    Olá Marisa! Procurei por kefir em Mogi das Cruzes e apareceu seu blog, pelo que parece você tem parentes aqui. Está muito difícil conseguir kefir de leite será que você teria condições de me ajudar?

    Grata

    Elaine

  11. Alessandro

    Ótima receita. Quanto ao basílico, minha sogra conseguiu vencer a batalha das sementes italianas. Quando eu dei as sementes ela transformou a coisa em uma floresta perene. Eu mesmo já tenti várias vezes e aquela doença do caule sempre aparece. Como a sogra é das melhores, não hesito em ir buscar sempre que preciso. Concordo com o prof sobre o aroma ao rasgar, mas sei de experiência em cozinhas italianas no exteiro que a faca escurece o bichinho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *