2 Comments

  1. Muito interessante, esse tomate. Contradiz a primeira impressão, de que possa ser mais ácido.

    No país de múltipla variedade de tomates como aqui, ainda não deparei com um desse. Adoro comer tomates ainda verdinhos, inteiros, apenas jogando sal a cada mordida. Marisa, na produção agrícola, o tomate é um dos alimentos que goza de auto-suficência neste país, seja ‘in natura’ que industrializados (molhos e pelados enlatados). No entanto, estão chegando os pelados enlatados da China, pois o custo é infinitamente inferior. Claro, isso está gerando protestos. (Em todo caso, os agricultores italianos recebem subsídio do Estado, sabe como. Como era o arroz no Japão, anos atrás.) Abraços!

  2. Marisa Ono

    Que coisa curiosa, LuMa. No Japão eu comprava tomates pelados enlatados italianos e eram, para os padrões japoneses, baratos.
    Já no Brasil, o tomate sofre com o problema de transporte e calor. Os agricultores preferem plantar variedades que duram mais no balcão do supermercado ou feira e eu não gostei deles. São duros, sem sabor. Pelo que ouvi falar, o tomate está se dando bem no Centro-Oeste, onde o clima é mais seco e o solo também beneficia o cultivo, mas quase toda a produção vai para as indústrias de molho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *