Torta de Caqui

Está na época de caqui. No Japão diziam que era rico em fibras e licopeno. Confesso que não fui atrás da informação. E também confesso que nunca fui fã do caqui molengo, prefiro do tipo mais firme, durinho. Mas com tantos caquis em casa, mais do que eu poderia consumir, mesmo que gostasse, acabei tentando uma torta.

Sempre achei que caqui daria uma geléia de boa consistência. Lembrei das tortas recheadas com geléia de frutas. Não cozinhei o caqui. Ele foi passado na peneira e levemente adoçado. A massa, grossa, absorveu parte da umidade do recheio. Não ficou crocante, claro, ficou parecendo um bolo mais pesado.

Massa

100 gramas de manteiga gelada

2 xícaras de farinha de trigo

2 ovos

3 colheres de sopa de açúcar

3 colheres de chá de fermento em pó

1/2 xícara de leite

Recheio

Cerca de 8 caquis grandes, bem maduros, descascados e passados pela peneira ou passaverdura

Açúcar à gosto (usei só 4 colheres de sopa)

Suco de meio limão

Misture a manteiga com a farinha e o açúcar, até formar uma farofa grosseira. Junte o fermento, misture. Adicione os ovos batidos e o leite aos poucos, misturando sem sovar. Deverá ficar uma massa macia, meio pegajosa.

Abra parte da massa (cerca de 2/3) com as pontas dos dedos em uma assadeira de fundo removível. Cubra os fundos e os lados.

Despeje o recheio. Para o recheio, basta misturar tudo. Se quiser adicionar outra aroma (canela, baunilha, raspas de limão, etc), use. Eu preferi fazer só com caqui, mesmo. O limão entrou só para equilibrar um pouco a doçura.

Leve ao forno pré-aquecido, forno médio para alto. Quando as bordas começarem a dourar e ficar um pouco firme, retire do forno.

Com o restante da massa, faça rolinhos e prenda-os nas bordas da torta. O recheio estará quente e não estará muito firme. Tenha  cuidado para não se queimar. Volte ao forno médio e deixe terminar de assar, até a grade de cima ficar dourada. No meu forno, precisei colocar outra assadeira embaixo, para não queimar o fundo da torta.

Retire do forno e espere esfriar antes de cortar. O recheio ficará com uma consistência cremosa, mas firme o suficiente para ser cortada sem escorrer, quase um flan.

PS: Da próxima vez, creio que farei em uma assadeira maior e mais rasa. Acho que ficou com muito recheio. Desta vez usei uma forma de apenas 18 cm de diâmetro.

Share This Post

Um comentário em “Torta de Caqui”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *