Okonomiyaki

Em uma pesquisa rápida no Google vi que muitos chamam o okonomiyaki de “pizza japonesa”. Acho curioso, porque é uma panqueca grossa. Como a pizza, é popular, pode receber recheios diversos e tem que ser comida quente. Fui a uma casa de okonomiyaki no Japão. É um restaurante sem cozinheiro, por assim dizer. Escolhido o recheio, uma funcionária liga a chama da chapa no meio da mesa, serve bebidas e vem com tigelas contendo a massa e o recheio. Os molhos para cobertura já estão em uma bandeja ao lado. Quem prepara o prato é o próprio cliente.

Também comi okonomiyaki em festivais. Aliás, comer é uma boa opção nesses eventos. As barraquinhas vendem refrigerantes, raspadinhas (no verão, claro), algodão-doce, milho assado, frango frito, espetinhos, yakisoba, doces como o taiyaki e o imagawayaki e, claro, o okonomiyaki, que pode ser comprado em uma porção inteira ou meia porção.

Há muito tempo que me pedem uma receita de okonomiyaki e eu relutei muito. É um prato típico, é popular, pode ser feito em casa sem grandes malabarismos mas… eu não acho especial. Para mim, é um panquecão. Não é ruim, mata a fome e pode ser feito em menos de meia hora. Se não fosse tão típico, iria para a categoria “Cozinha do Desespero“.

100 gramas de cará, descascado e picado

100 ml de água ou caldo (dashi)

100 gramas de farinha de trigo

1 ovo

200 gramas de repolho picado

1/2 cebola média, cortada em fatias finas

Gengibre em conserva (benishôga) à gosto

Fatias de carne de porco

2 ovos (opcional)

Ketchup, molho inglês, molho de sopa, mostarda e maionese (para a cobertura)

Coloque o cará, o ovo, o caldo (ou água; neste caso, adicione um pouco de hondashi ou kombudashi industrializado) e a farinha em um multiprocessador. Bata até formar uma massa lisa. Bata mais um pouco para que incorpore um pouco de ar. Tempere com sal.

Despeje a massa em uma tigela e junte o repolho, a cebola e o gengibre em conserva picado. Se quiser, adicione camarões, lulas, nirá (aquela cebolinha com folhas achatadas e aroma forte), cebolinha, cogumelos… Bem, praticamente qualquer coisa que goste. Só não exagere, porque a massa precisa envolver bem tudo, senão você acabará com um refogado e não uma panqueca.

Aqueça uma frigideira untada com óleo. Disponha fatias finas de carne de porco. Despeje metade da massa e deixe que frite em fogo moderado, até firmar ligeiramente e ficar bem dourado por baixo.

Quebre um ovo (opcional) no centro da panqueca. Com a ajuda de duas espátulas, vire a panqueca. Como isso requer uma certa prática, talvez seja melhor escorregar a panqueca para um prato, quebra o ovo na frigideira e virar a panqueca com a parte ainda crua sobre ela. Deixe no fogo por mais alguns poucos minutos, até cozinhar.

Sirva coberto com um molho para okonomiyaki. Como nem sempre é possível encontra-lo em lojas de produtos orientais ou supermercados, eu misturo ketchup, um pouco de mostarda forte (do tipo mais ardido, o karashi), molho inglês e shoyu. O molho não é muito líquido. Ajuste a seu gosto. É costume servir com um pouco de maionese em cima. Se tiver tempo e disposição, coloque a maionese em um saco de confeiteiro com bico fino e faça listras, traços, zigue-zagues, etc. Se gostar, polvilhe alga nori verde (em floquinhos finos, secos) e lâminas de bonito seco (hana katsuo).

PS: não confunda cará com inhame. Inhame (também chamado de taro) não pode ser comido cru. Cará é maior, pode ser consumido cru. Em comum, ambos são visguentos.  A Neide Rigo do blog Come-se comenta mais sobre esses dois tubérculos

http://come-se.blogspot.com/2007/06/inhames-e-cars.html

Share This Post

21 comentários em “Okonomiyaki”

  1. rs… eu tinha feito um post há mto tempo atrás sobre okonomiyaki e estava lá “Okonomiyaki, a pizza japonesa” hahahaha mas já troquei
    Eh, não tem nada a ver com pizza mesmo…
    Eu gosto de okonomiyaki. Justamente por ser fácil e versátil.

    Gosto de uma rede de Okonomiyaki, que faz à moda de Osaka… é bem gostoso e baratinho.

  2. Bem, Alexandre, quando eu vou em uma pizzaria, não espero que me tragam a massa e instruções para assar uma pizza no forno a lenha. Por outro lado, talvez até exista um disk-okonomiyaki, mas não me parece ser muito comum. O fato é que existem várias receitas. Já comi com frutos do mar e aquela com yakisoba no meio.

  3. Fazia muito okonomiyaki quando criança! Panquequinha que vale por um bifinho (já que minha mãe não comprava danoninho). Hum… Acho que vou fazer pra janta!

  4. COMI OKONOMIYAKI FEITO COM CAMARAO E LOMBO SUINO. JÁ QUE É UM PRATO TIPICO DE HIROSHIMA FICARIA INTERESSANTE RECHEADO COM OSTRA.APÓS A INVASAO DE NIHON PELOS AMERICANOS É QUE DEVE TER SURGIDO ESTA COBERTURA DE CATCHUP COM MAIONESE.

  5. Querida Marisa, parabéns pelo site especialmente nesse capítulo que trata do famoso OKONOMIYAKI, iguaria adorada pelos japoneses e porque não por muitos brasileiros também. No Brasil, acredito que ainda é bastante desconhecido, a não ser para aqueles que apreciam restaurantes japoneses, fugindo do tradicional SUSHI. Conheci seu site porque minha esposa na semana passada pediu-me para fazer uma tradução de uma embalagem de utensílios para fazer o OKONOMIYAKI, que nós trouxemos do Japão. Morei por 18 anos no Japão na região de Kinki (Shiga ken) e em Mie-Ken, na cidade de Tsu. Minha esposa adora esse prato. Nós, vira e mexe estávamos em restaurantes especializados. O interessante que no Japão, tudo gira em torno de facilitar o dia-a-dia das pessoas, e por isso, tínhamos à venda nos supermercados, uma farinha preparada , temperada para o preparo do prato. Basta juntar os ingredientes,seguir os passos e pronto. Mas,para os próximos dias, vamos preparar o prato, seguindo suas intruções. O nosso favorito é o OKONOMIYAKI à la “Osaka-fu”, ou à moda de Osaka. Eu sugiro que aos poucos criemos esse prato com variações adaptadas para o gosto brasileiro (ingredientes), assim como ocorreu com a famosa pizza italiana. Um abraço,

  6. Querida Natália, assisti ao vídeo também. Quanto à verdura (no caso, um tubérculo), é o YAMAIMO, conhecido aqui pelos brasileiros como CARÁ. É um legume que você descasca e passa no ralador, saindo aquela “gosma” como você comentou. A função dela é acima de tudo ajudar a dar liga no preparo do OKONOMIYAKI. Um abraço,

  7. Comi okonomiaky no em Tokyo r foi bem diferente do que você descreveu. Sentamos em um balcão e o atendente fez em uma chapa quente um tipo de panqueca, repolho, lua e um molho denso escuro, tipo o tarê, depois quebrou um ovo que ficou exatamente do tamanho da panqueca e cobriu com mais lua e mais molho. Felizmente, sem maionese ou katchup. Foi maravilhoso. Tentei comer na Liberdade, mas nem no sonho se parece com o de Tokio.

  8. Ih, são tantas coisas. Para começo de conversa, não temos uma variedade de repolho indicada para okonomiyaki. Então, o jeito é fazer com o que tem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *