11 Comments

  1. Tatiane

    Marisa,
    Acho que nunca comentei no seu blog, apesar de ser uma grande admiradora. Hoje fizemos em casa, pela segunda vez, sua receita de gyoza. E é por isso que dessa vez resolvi comentar: todos os convidados (que ajudaram a preparar a massa e moldar os gyozas – que na maioria ficaram mais pra pasteizinhos) disseram que eu tinha que agradecer a “mulher do blog”. Atendendo aos pedidos…obrigada pelas receitas! E pelo carinho com que você escreve – sem as fotos de como moldar o bichinho, nunca teríamos chegado nem perto!!

  2. Bia

    Por mim era pizza todos os dias…. São Paulo então é um reduto de gostosuras fora da Itália…. Mas concordo com vc, embora haja opções de recheios para todos os gostos, tem coisa que não combina muito não (já viu pizza de strogonoff, feijoada, entre outras combinações duvidosas….). Sou adepta do clássico: massa fina, um bom molho, bastante queijo, manjericão… Hummmmmm……….

  3. Marisa Ono

    Já ouvi italianos dizerem que comem pizzas aqui no Brasil melhores que na Itália. Bem, não conheço a Itália, mas até entendo. Imigrantes que passaram o período da Segunda Guerra na Europa, certamente provaram da dificuldade em encontrar ingredientes. Faltou farinha, faltou azeite, faltou tudo.
    Confesso, Bia, no Japão aprendi a gostar de uma cobertura meio “trash”: atum, queijo e milho verde.

  4. Bia

    Hahahaha eu faço grudes tb…. Mas pizza de sorvete, de feijoada e afins acho demais da conta… rsrsrsrs
    Quanto à Itália, é o berço da coisa, parece que eles comida de uma forma tão natural… Já ouvi tb muita gente dizendo que aqui a pizza é melhor…. Na verdade eu considero que são coisas diferentes – comer pizza na Itália, só pela situação em si faz com que tenha um sabor especial!

  5. Marisa Ono

    Ô, eu tenho umas lembranças assim. Sorvete de batata-doce depois de ver penhascos e o mar do Japão em Fukui. Castanhas assadas comidas sentada em um banquinho da estação de Kashiwa, vendo a neve, no dia de Natal. Espetinhos devorados em um animado izakaya, em uma beira de estrada, em Iwata…
    Posso estar falando bobagem, quem sou eu para discutir o comer, mas acho que a pizza é um prato internacional, que ganha características em cada país. Algo como o sanduíche, que virou sinônimo de duas fatias de pão com qualquer coisa dentro.

  6. Bia

    Sim, vai bem por aí… E conta muito a impressão pessoal de cada um – o lugar, o momento… Sabe as coisas que eram boas na infância e hj o gosto não é o mesmo???

  7. Valdir

    Essa revista é do ano em que eu nascí, sabe onde? no bras.Eu achava que a Pizza veio para o Brasil na década de 50 Bom parabens por tudo que voce se propõe a fazer e faz muitobem. Continue não pare, não vai deichar o velhinho aqui triste.

    abrs

    Valdir

  8. christopher

    Putz, nada a ver mas e o BAURU? Tenho a maior curiosidade sobre esse sanduiche. Dizem que a receita original data de 1934 e leva pão frances, tomate, queijo, rosbife e picles e é como se fosse um sanduiche normal, mas a receita que conheço desde criança é com pão de forma e o sanduiche é PRENSADO em forma especial que é levada diretamente ao fogo do fogão, tipo essa, http://distribuidoramillenium.com.br/loja/image/cache/data/Nerko/1362-500×500.jpg
    Agora a coisa mais estranha, é que fui encontrar no Japão, uma forma parecida e tinha escrito em alto relevo BAW LOO!!!! Olha só http://blog-imgs-44-origin.fc2.com/a/k/a/akajazz/20100601bawloo003.jpg
    Eu pesquisei mais a fundo e a forma é fabricada no Japão!
    Ainda uso as formas quando vou pra casa dos meus pais em Maringa-Pr, devem ter uns 50~60 anos.
    Será que um imigrante voltou para o Japão e levou a idéia ou o nome baw loo é mera coincidência?
    A receita que conheço é pão de forma, fatias de tomate e cebola, presunto e queijo, e sempre precisa passar um pouco de manteiga na forma para não grudar o pão.
    O que acho que fica perfeito, é colocar mais de um tipo de queijo e preparar com o fogo BEM baixo, sem pressa, até ficar bem douradinho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *