Kanten com Café (ou Koohii Zerii)

Confesso que quando morei no Japão, não dava muita atenção à essa sobremesa “de adulto”. Anos depois, mais velha, devo ter mudado de paladar. Para nós, brasileiros, a idéia de café gelado é um tanto quanto estranha. Quando falamos em café, logo pensamos em uma xícara fumegante.

Outra coisa engraçada é que existem receitas que acerto na primeira tentativa. Outras, são resultado de algumas tentativas e erros. Tentei fazer uma gelatina de café com café coado. A maioria sugeria usar café solúvel. Uma vez, ficou mole demais. Noutra, amarga demais. Acho que acertei desta. É muito simples e refrescante. Para quem já foi ao Kidoairaku, deve de ter provado dessa sobremesa. Lá no Japão é mais comum servi-la com creme. Mas estamos no Brasil e gostamos dos doces mais doces. Um pouco de leite condensado também cai bem.

500 ml de água

7 gramas de kanten

Açúcar ou adoçante culinário à gosto.

Café coado forte: faça meio litro de café com a quantidade de pó que usaria para fazer um litro. Isso fica a critério de cada um. Eu gosto de café forte e acho que fica melhor nessa receita. Coe e mantenha aquecido.

Misture o kanten (gelatina de alga) com açúcar ou adoçante culinário em pó e misture. Adicione água, misture e leve ao fogo, mexendo eventualmente. Ferva por 3  minutos. Adicione o café quente e misture, ainda no fogo. Despeje em uma forma retangular, deixe esfriar, leve à geladeira e corte em cubos.

PS: Eu usei pouco adoçante. Como iria servir com leite condensado, não quis sobrecarregar. E é até interessante  sentir o amargo do café. Confesso que não presto muita atenção ao café. Tomo café porque sou realmente viciada em cafeína. É um ato mecânico e diferente de quando vou tomar um chá, por exemplo. Então, o que tenho em casa, geralmente é uma marca de café bem popular.

Outra opção para servir é cortar em cubinhos e servir em uma tacinha, com creme ou leite condensado. Fica bonito. Mas, definitivamente, não é um doce que vá agradar à maioria das crianças.

Share This Post

8 comentários em “Kanten com Café (ou Koohii Zerii)”

  1. Nossa!!! Nostalgia à solta. Uma das minhas lembranças ternas de Nagoya, dos colegas bolsistas e também da doce solidão de estrangeira. É uma sobremesa de uma suavidade maravilhosa. Comi uma só vez e não me esqueci. Na estação de Nagoya, tinha um lugarzinho muito simpático, acho que era uma kissaten, que servia com cubinhos de frutas em calda – com menos açúcar que as daqui, obviamente – além daquele creme vegetal que se coloca no café para beber. Talvez eu tente fazer em casa 🙂

  2. Oi Marisa
    Adorei essa gelatina quando fui ao Kidoairaku.
    Já tentei fazer e não achava a fórmula certa.
    Vou tentar agora com a sua receita mas fiquei com uma dúvida: na sua receita usa 7 gramas de Kantem dissolvida em meio litro de água e depois acrescenta mais meio litro de café ?
    Não sei se entendi direito. Um abraço e obrigada por partilhar seus conhecimentos.

  3. Maria Helena, diferente da gelatina, o kanten tem que ser fervido por 2 a 3 minutos para dissolver bem. Como o café coado, por sua vez, não fica legal com tanta ferveção, resolvi adicionar depois. Por isso dividi o litro de líquido em duas partes: meio litro de água com kanten e um pouco de açúcar e meio litro de café quente. Mas é importante que o café esteja quente, porque o kanten começa a solidificar em torno de 80 graus (acho).

  4. Gozado, anos atrás lembro da Su ter pedido esse zeri no sawayaka, pedi para provar de tanto ela elogiar, na época detestei, achei muito amargo.
    Passado anos, hoje eu adoro esse doce, só não posso dizer que é paladar de otona, pois a Su é mais nova, rsss. O leve amargo da gelatina entra em perfeita harmonia com o creme.

  5. Prezada Marisa Ono. Eu fiz o kanten com café e achei saboroso, principalmente com creme de leite por cima! Agora tenho uma dúvida: a kanten em pó, se misturada a água e bebida, ela solidifica no nosso organismo, tipo, causando sensação de saciedade? Desde já agradeço.

  6. Não, Paulo. Ele se mantem sólido. Ele só vai se solidificar se for fervido por mais ou menos 3 minutos e depois resfriado. Se não me falha a memória, ele começa a solidificar a 80°C. Poderia ser utilizado em uma sopa, por exemplo. Até chegar no interior do estômago teria esfriado o suficiente para que solidificasse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *