Berinjela com Miso

As tais beringelas redondas que comentei no post anterior, foram para um prato que um clássico da cozinha japonesa. Tão clássico que não consigo encontrar o nome correto. Não sei se chamo de nasu no miso fuumi ou nasu no dengaku ae. Enfim, é berinjela com miso. Existem algumas variações, como tantas receitas populares. Esta é a minha. A berinjela frita mantem a linda cor da casca e a textura é macia, sem ser molenga. Outro dia comi desse jeito, feita pelo chef Shinya Koike. Claro que ele usou ingredientes especiais e também conta com um talento e paixão também especiais. Não ficou tão bom quanto o dele, mas mesmo assim, foram duas berinjelas grandes para duas pessoas, sinal de que não estava ruim, não.

Corte as berinjelas – usei duas, das redondas, o que daria umas duas médias, da comum ou um pouco mais das finas – em pedaços grandes. Mantenha a casca. Frite em bastante óleo, até que dourem. Escorra, mantendo a casca para cima. Isso vai impedir que a tinta da casca passe para o papel e ela perca a cor.

Em uma panela, aqueça 50 ml de mirin. Se for hon mirin, é melhor inclinar a panela e deixar que ele pegue fogo. Isso vai reduzir o álcool. Se for do tipo “culinário”, nem adianta. A quantidade de álcool é mínima e não irá flambar (no caso, apenas 0,9%). Se não tiver mirin, use um pouco de açúcar ou um pouco de glucose (Karo).

Adicione 2 colheres de sopa de miso (ou mais, dependendo do seu gosto e do tipo de miso) e dissolva. Acrescente um pouco de água e uma colher de açúcar (ou mais, se preferir mais doce). Cozinhe, mexendo eventualmente, até que forme um molho brilhante. Despeje sobre as berinjelas já fritas e decore com cebolinha ou miyoga (botão de uma planta parente do gengibre) ou um pouco de gergelim torrado.

Share This Post

18 comentários em “Berinjela com Miso”

  1. Não tenho mirin em casa (ainda) tem pouco mais de 2 meses que me mudei pro Japão e tô me famializando com os sabores da comida japonesa e consequentemente tentar fazer algumas receitinhas pra família! Se não tem mirin você disse pra colocar açucar ne, ai no caso seria açucar com água dai quando começasse a ferver antes de virar calda adicionar o miso pra dissolver, é assim?

  2. Isso, Mariana. Se for substituir o mirin, use um pouco de açúcar dissolvido em água. Mas se puder, experimente com mirin. Ele dá uma cor e brilho ao prato.

  3. Marisa fiz as berinjelas, aquelas sem sementes ficou muito bom todo mundo gostou aqui se come muita berinjelas,foi bom mudar de receita. bjs.aprovado

  4. É, Diulza, aquela berinjela tem uma textura gostosa, fica bem nesse prato. Amanhã talvez eu faça outra receita de berinjela, aproveitando a safra aqui da horta e o fato de que esta época tem bastante na feira…

  5. Olá Marisa, vi seu blog por acaso quando procurava por uma receita do caldo pro gari shoga, experimentei seguir a sua receita e ficou razoável pra quem fez pela primeira vez, concluí que tenho de fazer mais vezes até chegar ao gostinho que me remete ao sabor da conserva feita pela minha avó.
    E passei a seguir o seu blog também, e lendo sobre a berinjela frita, gostaria de saber ser as berinjelas devem ser colocadas em óleo bem quente, ou em óleo morno que esquenta com o legume dentro?
    Um grande abraço, Alina

  6. O óleo deve ser quente mas não demais. A temperatura tende a queimar a casca, alterando a cor. Se tiver um termômetro, seria em torno de 160 graus. Não coloque em óleo frio ou morno, ele irá absorver muita gordura.

  7. Não, Mariana, existem dois tipos de mirin. Um tem um teor alcóolico elevado e, apesar de ser frequentemente usado no preparo de pratos, pode até ser bebido com licor. Já o outro, é um preparado imitando o mirin, de teor alcóolico baixo e é, basicamente, uma mistura de açúcares e água. Não confunda com sake, que é um fermentado à base de arroz. O mirin é feito a partir de um destilado, arroz para mochi (mochigome) e koji.

  8. Cara Marisa, você sabe se existe hon mirin nacional? Todos os que já achei tinham jeito de serem a “imitação” (e aí, tenho a sensação de que é a mesma coisa que misturar saquê e açúcar…).

  9. Marisa, eu tentei fritar a berinjela mas ela “sugou” todo o óleo… usei uns 10 papéis toalha e ainda assim não adiantou… tem alguma técnica pra não ficar tão oleoso? Pensei em assar no forno, você já tentou?

  10. O problema está no tipo de berinjela. A que costumo usar para esse prato são as redondas, conhecidas como “berinjela redonda japonesa” ou “roxele”. A polpa é mais firme e compacta. Não absorve tanta gordura assim. A berinjela comum contém muita água.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *