Uva Santa Izabel e o Carnaval

Sinto, creio que jamais escreverei posts com receitas para o Carnaval. O fato é que não gosto de Carnaval, apesar de carioca, apesar de ter-me criado ao lado do Bafo-de-Onça, tradicional bloco do bairro do Catumbi.

Do Bafo-de-Onça ainda guardo uma lembrança curiosa. Levaram-me para assistir a um ensaio ou coisa que o valha. Tinha quatro anos. Lembro bem que na entrada haviam pintando uma cabeça de onça imensa, boca aberta como que dando um urro. Logo disparei: essa onça está errada. Se está rugindo, ela tinha que estar com os olhos apertados, testa franzida e orelha para trás. E assim continuei a vida, não entendendo nada de samba mas sabendo um pouco sobre felinos e com fama de esquisita.

Uma das poucas coisas que me alegra no Carnaval é saber que terei uvas Santa Izabel. Faço festa com essas uvinhas pretas, docinhas, miúdas. Elas logo somem das bancas de feira, a safra é curta. Há quem faça suco, geléia (a Li da Casa da Li fez tortinhas com geléia dessa uva outro dia). Eu só quero a uva em si.

Essas comprei na estrada, na região entre Ibiúna-Piedade-São Roque. Nesta época do ano sempre tem barraquinhas, carros, caminhões vendendo frutas. Eu adoro ver coisas nas estradas, nem sempre é de boa qualidade, mas sinto que alguém está produzindo, tem gente trabalhando. Paguei R$20,00 a caixa com cerca de 4 kg de uvas. Mas não é preciso fazer uma viagem para comprar uvas. Há nas feiras, longe das batucadas de samba.

 

Share This Post

2 comentários em “Uva Santa Izabel e o Carnaval”

  1. Essas uvas sao as melhores! Eu faco uma massa de pao de lo (para cada ovo, 1 colher de sopa de acucar e 1 colher de sopa de farinha, claras em neve) e jogo as uvas dentro. Fica delicioso!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *