8 Comments

  1. Diulza Angelica dos Santos

    Marisa onde faz feira ai em Ibiuna mesmo, pois aqui achar aspargo é uma luta, só na liberdade encontro e tb não é facil. como não estou indo fica dificil, Ma comprei um misso caseiro mais não se compara com o da sua mãe.

  2. Marisa Ono

    A feira em Ibiuna ocorre no domingo, na rua do correio. Não é difícil achar, é só seguir a rodovia que vem da Raposo Tavares que uma hora vai cair na rotatória onde começa a feira. A feira é pequena, três quadras, creio eu, mas como a região tem muitos pequenos agricultores, acha-se alface, couve-flor e outras hortaliças a um preço bem melhor que São Paulo.

  3. Marisa Ono

    Acho que é tendência. Há anos vegetais coloridos ganharam destaque no Japão por conta do fato que possuem uma quantidade extra de anti-oxidantes. Foi uma febre de tomate preto, soja preta, batata-doce roxa, pimentões de todas as cores… A batata-doce roxa aparece no final do outono e depois desaparece. E não é muito comum, já que não é sequinha, mas é ótima para fazer doce em pasta. Também existe o cará roxo, ainda curiosidade que quase não se encontra. O inhame (taro) roxo aparece na Liberdade. E existe as batatas andinas, que podem ser desde alaranjadas até azuladas. Enfim, a natureza gosta de diversidade.

  4. Luzia

    Que saudades!!! Há mais de 10 anos atrás meu pai pesquisou sobre aspargos e começou a plantar no Paraná. Minha mãe o ajudava na colheita. Tem que colher todos os dias, senão o broto se abre e passa do ponto. Tinha só alguns pés de aspargo roxo. Depois que ele faleceu, com 83 anos, meu irmão continuou, ampliando a área de plantio. Como não é sempre que posso ir lá, quando vou, aproveito ao máximo. Os talos que sobram na hora de fazer os maços e eles jogam fora, eu corto em rodelas finas e deixo secando ao sol para fazer chá, ou em pó para colocar nas vitaminas (aproveito a casca também). Faço também caldo grosso e congelo para fazer creme de aspargos ou sopa. A minha filha adora também quando faço refogado com bacon ou calabresa e cebola.

  5. Beatriz

    Marisa, ontem quando o meu pai ia comprar aspargos verdes aqui pra casa, um moço disse para ele experimentar o aspargo roxo, diurético, o moço é o representante do negócio aqui no Brasil, onde os aspargos roxos não são conhecidos ainda, é uma delicia! Eu comi ele cru, com azeite, sal e vinagre, fica muito bom…
    O site do moço é esse:

    http://aspargosfrescos.com.br/

    Lá fala como eles crescem rápido (2,5 cm por hora) e muitas outras coisas, é muito interessante.

  6. Marisa Ono

    Eu não como aspargos crus, há uma certa toxicidade neles, é recomendado aferventa-los. Em pessoas mais sensíveis, o contato com eles pode provocar irritação na pele.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *