Custard Pudding de Panela de Pressão

Um doce que faço com certa frequência é o custard pudding, ou seja, o pudim de leite sem leite condensado. A versão mais encontrada no Japão é com baunilha, embora possa ser feita com chocolate, café, gergelim e outros sabores. Só que agora resolvi reduzir -e muito – o tempo de cozimento.

Quando a gente pensa em panela de pressão logo pensa em temperaturas altas desmanchando tudo. Com temperaturas tão altas (em torno de 120°C), o pudim encheria de bolhas, perderia textura e talvez até explodisse. Mas calma. É também uma panela de onde a temperatura “escapa” mais lentamente. E isso pode ser usado a favor.

Essa versão é fácil, barata e rende 4 porções. Sugiro que usem ovos frescos, se encontrar, que têm um cheiro mais agradável. Desta vez fiz duas versões, uma com café e outra com amendoim.

3 ovos

5 colheres de sopa (rasas) de açúcar cristal

1 1/2 xícara (de chá) de leite

‘/4 de xícara (de chá)  de café bem forte

2 colheres de sopa (rasas) de pasta de amendoim sem açúcar (peanut butter)

Ou essência de baunilha.

Mais açúcar para o caramelo

Primeiro, faça o caramelo. Aliás, muita gente erra no ponto do caramelo. Eu misturo açúcar com um pouco de água e levo ao fogo até dourar. Adiciono um pouco de água, com cuidado, porque espirra. Adiciono uma colher bem cheia de glucose e cozinho até atingir o ponto de fio, ou seja, pego um pouco de calda morna entre os dedos indicador e polegar e lentamente afasto. Deve de formar um fio que se rompe com 2 cm, mais ou menos. Tem uma textura pegajosa, um pouco parecida com a do mel. Essa calda não ira ficar dura como uma bala depois de fria. Com isso, o pudim desenforma com mais facilidade. Despeje a calda no fundo de forminhas com cerca de 120 ml de capacidade.

Leve o leite ao fogo até abrir fervura. Enquanto isso, bata os ovos com o açúcar, até misturar bem. Despeje o leite quente sobre os ovos enquanto mistura. Passe o líquido por uma peneira fina e descarte a espuma que se formou. Prepare uma panela de pressão onde caibam 4 forminhas. Eu usei uma cesta para cozimento no vapor ajustável – já vi em lojas de produtos orientais e utilidades domésticas – e uma chapa perfurada que deve de ter vindo com alguma das minhas panelas. Para quem não tem nada disso, creio que umas latas de conserva e uma chapa perfurada servirão. Coloque de 3 xícaras de água fria (ou menos, caso seu suporte seja baixo demais; a água não deve de encostar no fundo das forminhas).

Como queria testar dois sabores, dividi o líquido em duas porções. Numa, adicionei o café e a outra fui adicionando aos poucos, mexendo bem, à pasta de amendoim. Se preferir, dispense o café e o amendoim e aromatize com baunilha, por exemplo.

Tampe a panela e leve ao fogo. Quando começar a chiar, desligue e deixe tampada. Eu abri após uma hora, porque eu fui fazer outras coisas e esqueci. Poderia ter retirado em menos tempo. Resumindo: o pudim foi cozido no vapor, mas dentro da panela de pressão. Gastou um mínimo de gás.

Deixe gelar antes de desenformar. Gostei do pudim de café, ficou bem cremoso e menos doce. O de amendoim ficou mais firme, gostoso também, embora um tanto quanto enjoativo, mas agrada quem é fã de amendoim. Um pouco de amendoim subiu, formando uma camada mais escura na superfície.

Agora, se não quiser fazer na panela de pressão, não se desespere. Cozinhe no vapor, em uma panela própria para isso ou use aquelas cestinhas de bambu, que funcionam muito bem. Cozinhe por 15 minutos ou até que fique firme nas bordas mas ainda mas cremoso no centro.

Recentemente fiz um vídeo da versão baunilha:

Share This Post
Esta entrada foi publicada em Doces, Fácil, rápido, receita com as tags , . ligação permanente.

7 Responses to Custard Pudding de Panela de Pressão

  1. Rafael diz:

    Marisa, sem querer tu me salvastes!

    Eu estava tentando achar no mercado, uma coisa que é comum no exterior: uma panela de pressão com uma grelha elevada dentro. Assim, poderia cozinhar carnes na pressão e no vapor ao mesmo tempo sem que a carne tocasse o líquido!
    É o método que as delicatessen utilizavam antigamente para fazer e manter o pastrami úmido. E o mesmo método que tu utilizastes na tua receita de pastrami. 🙂

    E tu acreditas? Nem lembrei que é fácil de achar uma destas cestas de cozimento à vapor ajustáveis!

    Obrigado!

  2. Marisa Ono diz:

    Jura, Rafael? Essas cestinhas são uma mão-na-roda, se adaptam a quase todas as panelas. Uso, embora tenha panela para cozimento no vapor (muito grande, aliás). Pena que as perninhas são curtas, não dá para colocar litros de água.

  3. Diulza Angelica dos Santos diz:

    Marisa eu e a panela de pressão não damos certo. tenho uma panela japonesa com a divisora para cozimento ao vapor sera que posso fazer nela eu adoro pudim de leite ou de lata como dizia minha mãe senão tenho que ir no ding ling comprar aquelas que abrem sabe como é, outra coisa as forminas são as mesma de petit gateau? bjs.

  4. Marisa Ono diz:

    As forminhas, Diulza, tenho há muitos anos. Mas qualquer forma que caiba uns 120 a 150 ml e que seja resistente ao calor funciona. Podem ser forminhas para bom-bocado, são mais altas. Agora, para fazer em uma forma comum de pudim eu teria que testar, porque não sei se cozinharia direito.

  5. Adriana Beatriz diz:

    Oieeee…acabei de descobrir seu site…Amei!!! Estou aprendendo muitooo!!!!Estou numa duvida, eu lembro que minha avó fazia pudim na panela de pressão, mas ela colocava uma forma tampada(inclusive amarrava com uma pano..rssss),te pergunto>>>> ´se eu coloccar uma forma grande de pudim normal, na panela de pressão com a metade da forma do pudim com água sem tampar, eu poderei fazer a sua receita, ao inves das forminhas?

  6. Adriana Beatriz diz:

    aiiii desculpe, não tinha lido a resposta acima….rssss

  7. Pingback: Custard Pudding ou Purin (Pudim) | Delícia

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *