Banana Felipe, Brinco de Princesa e Udon

Saiu uma penca estranha das bananeiras daqui. Banana “siamesa”, felipe, eu já havia visto, é claro. Mas quádrupla nunca. Fica o registro da curiosidade.

Tenho uma máquina fotográfica não muito nova mas que até que gosto, porque é compacta e tem uma função super macro, que permite tirar fotos de flores em detalhes, como esse brinco de princesa aí em cima. O problema é que estava com um problema e aparecia a mensagem: erro no obturador. E desligava. Outro dia resolvi o problema a tapas, mesmo. Bati a parte da lente contra a palma da mão. Sim, parece estupidez, mas tem lá alguma lógica sim. Pelo que vi, é um problema comum e estava com preguiça de desmontar e colocar tudo de volta no devido encaixe. Experimentei dar um tapa e resolveu. Não faça isso se sua câmera estiver funcionando bem e na garantia.

E o jantar hoje foi udon.

A massa era industrializada, da Nagatanien, importada pela Zendai.

Duas vantagens: a massa é um pouco mais estreita e cozinha bem rápido. E as instruções da embalagem já estão em português, o que facilita a vida do consumidor.

Na verdade, na verdade, estava pensando em escrever um texto sobre o instituto Royal e a pesquisa científica. No entanto, acho que aqui não é bem o lugar ideal. E creio que já discuti bastante isso no Facebook.

Fica aqui o texto de uma pessoa que há anos (muitos, aliás) admiro pela inteligência e cultura, o Caio Leonardo Bessa.

http://caioleonardo.com/2013/10/22/a-viagem-dos-beagles/

 

Share This Post

One Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *