Gemas Pasteurizadas

Há muito tempo leio que o Brasil produz ovos (e gemas e claras) de ovos pasteurizados, que até exporta, mas nunca encontrei para comprar. Finalmente encontrei (no Assaí da av Jaguaré, faz parte do meu caminho eventual). Também tinham claras e ovos, tudo em embalagem Tetrapack e refrigerado. Comprei para testar.

Muita gente não faz maionese em casa por medo de intoxicação. De fato, o risco dos ovos estarem contaminados existe, assim como a possibilidade de até morrer por salmonelose. No caso dos ovos pasteurizados, esse risco não existe. Experimentei fazer maionese com essas gemas (batendo sempre, adicionando óleo e azeite aos poucos, um pouco de vinagre, sal e pimenta do reino no final). Funcionou, o sabor não é estranho nem o cheiro é tão terrível.

O problema é que 1 kg de gemas de ovos é muita coisa. E na embalagem há a recomendação de usar em um dia, depois de aberto. Resolvi dividir em porções de 50 gramas e congelar. Vou usar aos poucos, seja para pincelar tortas, empadas, pães, etc, como em cremes e sorvetes. Depois de descongelada ela continua fluida, não há alteração significativa.

Se vale a pena comprar? A não ser que você tenha uma padaria, confeitaria ou outro comércio, não. Como disse, é muita gema para ser utilizada. O preço talvez até compense (se não me falha a memória, custou R$14,00). Mas, no geral, continuo preferindo ovos de galinha caipira mesmo.

 

Share This Post

18 comentários em “Gemas Pasteurizadas”

  1. Andei fazendo uns cursos de confeitaria on line e fiquei sabendo que no Brasil é proibido usar ovos crus em preparados que serão comercializados. Gemas e claras pasteurizadas salvaram a confeitaria e os quituteiros de terem que buscar alternativas. Mas seria bom se vendessem em quantidades pequenas e distribuídas de forma que mais pessoas conseguissem encontrar. Muita gente deixaria de ficar doente depois de festinhas preparadas por profissionais pouco zelosos.

  2. Diulza, onigiri é só arroz cozido e moldado. Geralmente cozinham com um pouco de sal, mas há quem passe sal na mão antes de modelar (a mão tem que estar molhada para o arroz não grudar). No mais, quem quiser, recheia ou não, embrulha em alga nori ou não.

  3. É, Gilda, a Vigilância Sanitária está mesmo proibindo mousses com claras ou gemas cruas, merengues e uma série de preparados. Com isso proliferam as mousses instantâneas, feitas com emulsificante, aquele horror…

  4. Onde comprar mais perto de minha cidade as caixas de gemas pasteurizadas?
    Nossa fábrica que se inicia necessitando de ajuda, fica em Campos dos Goitacases-RJ

  5. Não faço a menor ideia, Walter. Não represento a marca, não tenho vínculo nenhum com a empresa. Entre em contato com o fabricante.

  6. Olha, você está se perdendo na discussão. No post comentei que muita gente tem receio de consumir ovos crus e que, de fato, há um risco de intoxicação. Eu é que tenho motivos para ficar irritada, já que pensa que eu tenho tempo de sobra para ir até sua granja, ver a produção de ovos (aliás, já estive em granjas, sei como galinhas poedeiras são criadas e não é de hoje), e ainda que tenho que fazer propaganda de graça.
    E eu consumo ovos caipiras por alguns motivos: moro na zona rural, ganho ovos, acompanho a dieta e as condições das galinhas do vizinho e tenho a garantia de algo que nenhuma granja me dá: a data da postura. A qualidade dos ovos, sejam caipiras ou de granja, decai com o tempo.

  7. Tenho uma receita deliciosa de mousse que é feita com claras e gemas. O problema das claras pode ser resolvido com o merengue cozido, mas o das gemas, só tendo-as pasteurizadas. O problema é a quantidade. A caixa menor tem 500gr. Para uso doméstico é muito. Acho que as empresas só pensam em pessoas que revendem. Não pensam no particular.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *