8 Comments

  1. Rafael R

    Minha mãe cresceu comendo cérebro de boi à milanesa. Diz que é uma delícia. Eu nunca provei, apesar de ter vontade.
    Alías, lá em casa, fomos criados comendo de tudo: coração, rins, fígado, estômago, moela…
    E os gaúchos tem a tradição, desde cedo, de comer coraçãozinho de galinha (hoje, bem popularizado) no espeto como aperitivo do churrasco.
    Antigamente, nos churrascos, fazia-se rins de porco enrolados com fatias de bacon, colocados em um espeto e assados na churrasqueira… hoje é praticamente impossível encontrar isto!
    Na fronteira gaúcha com o Uruguai e Argentina, ainda comem nos churrascos (às vezes, até testículos de boi também).

    Lá em casa, dois dos meus favoritos são: o coração de boi recheado com presunto e queijo (que meu pai faz) e o patê de fígado de galinha da mãe (este, fiz pela primeira vez nesta semana).

  2. Marisa Ono

    Nunca comi rins. Em casa comíamos muito moela, coração e fígado de galinha, além de fígado de boi. Dobradinha com certa frequência, era bem barato, assim como língua. Lembro que vendiam testículos, rins e outras partes nos açougues. Agora, pode procurar, é difícil e se encontrar, vai estar congelado.

  3. Quase 1 da madrugada aqui no Qatar e depois de ler Esse post to com desenho de comer cerebro de carneiro…aqui escaldo os cerebros- bem fresquinhos- com limão , sal, sementes de coentro e água fervendo, 10 minutos, em seguida na água com gelo. Tiro veias e membranas, pico aleatoriamente, e refogo rapidinho com alho, pimenta do reino, quase nada de azeite de oliva. Comemos a temperatura ambiente, com limão e folhinhas de coentro picado. É bom demais.

  4. Marisa Ono

    Uia, Lu, vou experimentar. Estava pensando em fazer um curry porque sou louca por curries. Mas com alho deve de ficar muito bom!

  5. Diulza Angelica dos Santos

    Marisa boa tarde, voçê me fez lembrar de mãe, ela fazia o cérebros frescos com sal e enrolados na palha de milho e assava no forno a lenha ficava uma delicia,

  6. gloria maria alexandre herculano

    Nossa!!!! o que gosto na gastronomia é a imensidão de “gostos” que há por este mundo…coração de galinha em espetinho como…um figado de boi acebolado bem torradinho também aprecio…mas cérebro!!! nunca jamais teria coragem de degustar, admiro quem o faça.
    Marisa parabéns pelo seu blog acompanho sempre…conheço vc virtualmente desde o tempo do falecido orkut. Abraços fraternos.

  7. Torres

    Marisa, aqui em casa comemos cérebro de boi a milanesa desde que me entendo por gente.
    Testículos tem que encomendar. Ou ser amigo de veterinários, que sempre arranjam em épocas de castração.
    Cozinho até ele “abrir”. Aí é só retirar a membrana, temperar, empanar e fritar.
    Do boi, só não comi rim e o mugido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *