16 Comments

  1. Dilza

    Eu a muito ando á procura, antes aqui nas feiras se tinha eles já fatiadinhos,
    Faço recheios com eles, coloco tomates, cebolas brancas, muito cheiro verde e um pouquinho de colorau,
    Fazem anos que não consigo achar, e vendo tua postagem me deu mais vontade….

  2. Rafael R.

    Adoro broto de bambu!

    Quando era pequeno, ia em um restaurante chinês em Porto Alegre que sempre utilizava os brotos em um dos pratos (junto com fatias de carne, molho de soja, cenouras…).

    Depois de algum tempo, sumiu do restaurante.
    Os brotos, pasmem, foram substituídos por cogumelos (Paris).

    Aliás, não entendo porque aqui no Brasil não plantam bambu como uma alternativa para o palmito (que tem tipos, como o extraído da Içara/Juçara, ameaçados de extinção).
    Será porque o manejo\extração é mais difícil? Ou é por causa do gosto brasileiro?
    Ou produz muito pouco no ano?

    Deixo estas dúvidas os especialistas, como a Marisa. 😉

  3. Marisa Ono

    Costuma aparecer nas feiras e mercearias orientais. Mas depende da época do ano, Dilza. Esse já está no final da safra. Mais uns meses aparece o mosso, gigante.

  4. Marisa Ono

    Creio que não plantam extensivamente porque produz apenas uma vez por ano. Há a possibilidade de processa-lo como conserva mas não sei se teria um preço atraente, competindo com conservas de bambu vindas da China (aliás, champignons em conserva também estão vindo de lá, para desgosto dos produtores brasileiros). E o receio do negócio não dar certo e ficar com uma área muito grande infestada de bambu (é muito difícil de erradicar) também podem frear os ânimos. Sem falar no tempo que leva um bambuzal para produzir uma quantidade respeitável (alguns anos).

  5. Neuza

    Oi Marisa,eu morava no sítio e consumia muito broto de bambu, agora moro na cidade e faz muito tempo que não consumo. Nós consumíamos o que tinha mesmo, nem sei se era venenoso, rsrssrsr. Como era muito amargo, a fervura era lenta e com bicarbonato. Ficava uma água amarelo escuro. Depois ainda era deixado de molho por uma noite em água limpa, que era trocado logo cedo. ficava muito bom! Por aqui não sei se encontraria essa espécie que vc citou.

  6. Marisa Ono

    É, Neuza, minha mãe fala de variedades que precisavam de muita fervura, troca de água, adição de cinzas, etc para eliminar o amargor. Mas desde que a gente encontrou essa variedade mais mansa, não fomos mais à caça de outras. Me lembro de ter comido muito broto de bambu do tipo “caniço”, fininho, muito saboroso. Mas era criança e não me lembro bem se dava trabalho para preparar.

  7. Mary

    Como posso fazer a conserva? É soó ferver o vinagre com um pouco de açúcar? Eu já fervi e deixei na geadeira com água e agora quero fazer conserva. Grata e parabéns pela site

  8. Marisa Ono

    Você pode colocar em um pote, cobrir com água, sal e vinagre (bastante vinagre, deve ficar ácido com palmito, pH entre 3 e 4), tampar bem e levar ao fogo em uma panela com água até quase a borda. E ferver por pelo menos 40 minutos. Mas é preciso que o vidro esteja bem rosqueado, porque pode não dar vácuo e estragar.

  9. Olá, bom dia! Gostaria de saber se o broto daquele bambu fininho também é comestível. Fiz um teste e notei que não é amargo mas depois que a gente come a boca fica pinicando como se tivesse comido pimenta, e olha que comi só um pedacinho para experimentar depois de cozido só na água. Desde já agradeço pelo esclarecimento. Att. Mariana

  10. Marisa Ono

    Mariana, existem muitos tipos de bambu. Se mesmo fervendo por 20 minutos, ele incomodar a boca (ter “cica”, “pinicar”, etc), talvez não seja a melhor espécie para ser comida. Alguns bambus pedem fervuras longas ou um pouco de bicarbonato, varia muito.

  11. Joaquim Peroni

    Boa tarde.
    Tenho muito broto de bambu. Ainda agora no verão, pois o taquaral fica numa região muito fertil. Já colhi alguns, cozinhei e preparei como palmito para conserva. Ficaram ótimos.
    Estou pensando em comercializar.
    Tens idéia do mercado?
    Por favor me oriente, obrigado.
    Peroni

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *