Agenda

Atualizando a agenda dos próximos cursos:

Defumados

Bacon, Pernil e Pastrami

Quando: Dia 15 de setembro, domingo, das 10 às 16 horas.
Onde: Aqui em casa, próximo ao Haras Setti e o campo de beisebol da Yakult em Ibiúna.
Receitas apresentadas: Bacon, copa lombo defumada e pastrami. Técnicas de salga, cura e defumação. Orientações sobre madeiras ideais para defumação. Opções de defumadores caseiros. Almoço com as carnes preparadas no dia, acompanhado de pães, salada, chá e um doce para finalizar.
Valor: 200/pessoa. Ainda restam 2 vagas.
Peço um depósito em conta corrente de 50% como sinal.

Lamen

Quando: Dia 29 de setembro, domingo, das 10 às 16 horas.
Onde: Aqui em casa, próximo ao Haras Setti e o campo de beisebol da Yakult em Ibiúna.
Receitas apresentadas: Massa, caldo à base de porco e frango, chashu (porco marinado) e os molhos à base de shoyu e miso. Instruções sobre insumos e técnicas. Almoço com shoyu lamen e Hokkaido miso lamen, com as massas feitas no dia, chá e uma sobremesa.
Valor: 200/pessoa.
Peço um depósito em conta corrente de 50% como sinal.

Pães de Fermentação Natural

Quando: dia 6 de outubro, domingo, das 10 às 16 horas.
Onde: Aqui em casa, próximo ao Haras Setti e o campo de beisebol da Yakult em Ibiúna.
Apresento técnica simples para fazer pães de fermentação natural. Como produzir e manter seu levain. Dicas sobre farinhas e insumos. Segue lanche com pães assados na hora, chá, café.
valor: 200/pessoa.

Contato pelo e-mail marisaono@gmail.com

Share This Post

Brioche e Apple Ring

Outro dia deixei um livro aberto na mesa da cozinha. Minha mãe olhou e disse: parece gostoso. Repetiu umas vezes depois. Era a página sobre brioches. Nos dias seguintes falou sobre um pão popular no Japão, o Apple Ring, uma rosca com pedaços de maçã, da Daichi Pan. Decidi fazer os dois, à minha maneira.

Brioche é um pão rico, com ovos e manteiga, levemente adocicado. Forma uma casquinha dourada e o miolo é muito macio, praticamente se desmancha na boca. Não esfarela,rasga em fiapos. Não é difícil de fazer, mas para ficar excepcional, precisa de um pouco de cuidado. Eu prefiro fazer na máquina de pão. Tenho os dois ombros lesionados e sovar faz minhas articulações doerem. Pode ser feito em uma batedeira, com o gancho para massas pesadas.

A massa é muito versátil. Pode formar pãezinhos, roscas doces ou salgadas. Com raspas de laranja e açúcar por cima, vira um pão doce delicioso. No Japão fazem um tipo de torta com discos de massa recheados com creme de baunilha e frutas. O pão pode ser congelado, depois de assado e reaquecido no microondas (por 30 a 40 segundos, dependendo da potência), envolto em filme plástico. Então, é uma receita boa para guardar.

300 gramas de farinha de trigo (como me perguntam sempre que farinha uso, desta vez usei a Ananconda)

30 gramas de açúcar

3 gramas de sal

3 gramas de fermento biológico seco instantâneo

2 ovos

1 gema

100 ml de leite

100 gramas de manteiga (prefiro sem sal)

Misture a farinha com o açúcar, o sal e o fermento.

Bata os ovos e a gema com o leite e adicione à farinha. Sove até ficar lisa (ou bata na batedeira ou máquina de pão). A massa é macia.

Junte a manteiga, que não pode estar gelada e sove até ficar bem incorporada. A massa vai ficar grudenta, ruim de sovar, é assim mesmo.

Coloque em uma tigela ou pote plástico e deixe crescer por meia hora ou um pouco mais. Depois, cubra com filme plástico e leve à geladeira por 8 a 12 horas.

A fermentação lenta vai conferir sabor e textura ao pão e a massa, gelada, vai ser bem mais fácil de modelar.

Divida a massa em porções e modele.

Fiz bolinhas de cerca de 50 gramas e coloquei em uma forma de pão untada e deixei crescer. Uma pincelada de gema batia com um pouco de água confere um brilho extra.

Pode ser aberta em uma lâmina e recheada, para ser cortada em fatias, formando caracóis doces ou salgados.

Já para a rosca de maçã, refoguei 2 maças Red Delicious (as “argentinas”) com um pouco de manteiga. Juntei um pouco de açúcar e canela e usei no recheio. A Red Delicious solta menos água, fica firme.

Para os caracóis, usei forno bem quente até dourar. Já para os pães na forma, mantive em forno alto por 10 minutos e depois baixei, para que cozinhassem por dentro.

 

Share This Post

Chiffon Cake de Cenoura, Canela e Azeite

Ganhei uma garrafa de azeite Serra Que Chora e fiquei pensando como usa-lo. Há pouco comecei a olhar os azeites com mais interesse. Hoje temos azeites com diferentes características: herbal, picante, frutado, etc. E melhor, produzidos aqui mesmo, no Brasil. E percebi que harmonizar azeites com receitas é mais difícil do que parece. E por aqui não temos o hábito de usar azeite em doces.

Resolvi testar em um chiffon cake, bolo leve e não muito doce.

5 claras

60 gramas de açúcar cristal

5 gemas

60 gramas de açúcar cristal

150 gramas de cenoura

50 ml de água

50 ml de azeite ou óleo

120 gramas de farinha de trigo

1 colher de chá de fermento em pó

Canela em pó a gosto

Bata as claras em neve. Adicione 60 gramas de açúcar e bata até dissolver todo o açúcar. Pegue um pouco do merengue entre os dedos e não vai sentir nenhum grão. Reserve

Bata as gemas com os 60 gramas de açúcar restante até que fique claro e leve. Junte o azeite aos poucos.

Se tiver um mixer, triture a cenoura com a água. Senão, rale a cenoura na parte fina do ralador e adicione a água.

Junte a cenoura à mistura de gemas e misture bem.

Adicione a farinha, o fermento e a canela peneirados e misture bem.

Adicione as claras em 3 vezes, misturando para incorporar, mas sem bater. Tenha certeza que a mistura está bem homogênea, para que não fiquem pontos brancos na massa.

Leve para assar em uma forma de chiffon sem untar, forno aquecido médio, até dourar bem.

Tire do forno, deixe de ponta-cabeça até esfriar. Com uma faca fina ou espátula, solte da forma.

Bem, o azeite não apareceu tanto quanto eu queria, com seu sabor herbal. Talvez devesse adicionar mais. Ou em outra combinação. Ou omitir a canela. Enfim, apesar de não ter chegado ao resultado que eu queria, o bolo ficou fofo, macio, úmido e bem gostoso.

 

 

Share This Post

Agenda: Lamen e Defumados

Lamen

Quando: dia 25 de agosto (domingo), das 10 às 16 horas
Onde: Aqui em casa, próximo ao Haras Setti e o campo de beisebol da
Yakult em Ibiúna.
Receitas apresentadas: Duas massas para lamen, caldo base, molhos para
o shoyu lamen e para o miso lamen, porco marinado (chashu), ovo
marinado (aji tsuke tamago). Também apresento ideias de “topping”,
explico sobre as farinhas a serem utilizadas e falo sobre os insumos.
Segue almoço com um shoyu lamen e um miso lamen, usando os itens
apresentados na aula, mais chá e sobremesa.
Valor: 200/pessoa
Restam 2 vagas


Bacon, Pernil e Pastrami

Quando: Dia 15 de setembro, domingo, das 10 às 16 horas.
Onde: Aqui em casa, próximo ao Haras Setti e o campo de beisebol da
Yakult em Ibiúna.
Receitas apresentadas: Bacon, copa lombo defumada e pastrami. Técnicas
de salga, cura e defumação. Orientações sobre madeiras ideais para
defumação. Opções de defumadores caseiros. Almoço com as carnes
preparadas no dia, acompanhado de pães, salada, chá e um doce para
finalizar.
Valor: 200/pessoa
Restam 4 vagas

Mais informações pelo e-mail marisaono@gmail.com

 

Share This Post

Coxinha de Frango Assada (Com Algumas Dicas)

Frango é uma proteína popular. Mas tem muita gente errando na hora de prepara-lo. Peito e a coxinha da asa são carnes mais secas e acabam ficando duras.

A dica é a seguinte: cubra com água, pese o frango com a água e adicione 10 gramas de sal para cada quilo. Deixe de molho nessa salmoura por pelo menos 40 minutos, na geladeira. Depois escorra, tempere e prepare. Vai ver que, com isto, vai ter um frango bem mais suculento. Também costumo adicionar shio-koji (hoje em dia está ficando um pouco mais popular, a MN própolis produz). O shio-koji reduz o cheiro meio desagradável que o frango costuma ter.

Bem, depois disto, eu salpiquei uma mistura de temperos secos, esfreguei com um pouco de azeite e levei ao forno quente até dourar, virando uma vez.

A mistura de temperos que usei leva:

5 partes (colheres de sopa, de chá, tanto faz) de sal

2 partes de alho em pó

1 parte de cebola em pó

2 partes de páprica doce

1 parte de tomilho seco

1 parte de orégano

1 ou 2 partes de pimenta vermelha moída (isso vai depender muito do tipo de pimenta e quanto você gosta de comida picante)

1 parte de pimenta do reino moída

Misture tudo e guarde por um mês em um pote bem fechado. Use em frangos, peixes, carnes, etc.

Share This Post

12º Aizomê Ichiba


Dia 10 de agosto acontece o Aizomê Ichiba (Alameda Fernão Cardin 39). Para quem não conhece, é um evento em ambiente descontraído, com a participação de convidados. Nesta edição, o restaurante vai oferecer como opções o tempura de camarão com molho picante, katsusando (sanduiche de lombo empanado), kare Udon (massa com molho de curry), tekkadon (tigela de arroz coberta com atum) é o domburi veggie (vegetais, algas e cogumelos sobre arroz de sushi).
Cesar Yukio estará com suas criações como o Moranko (mousse de morango com pasta de azuki e glaçagem), além de choux e tartaletes.
Marcia Gabin da Gelato Boutique estará com gelatos com sabores de inspiração japonesa, como o matcha, miso com caramelo e limão com shiso.
A Adega de Sake também vai participar, com uma seleção de sakes
A Takobike estréia na feira, com seus bolinhos recheados com polvo.
E eu vou levar defumados, geleia de yuzu, conservas, miso artesanal, ovas defumadas, dorayaki (panquecas macias feitas com ovos e mel, recheadas com pasta de feijão azuki) e outras gostosuras.

Vai ter coisas para comer, para levar para casa e até presentear. Espero vocês!

Começa às 11 e vai até as 16 horas.

Acompanhem detalhes do evento do Facebook:

https://www.facebook.com/events/464164284316408/

Share This Post

Sekihan, Nishime e Yokan

Já me pediram para ensinar pratos da cozinha nipo-brasileira. Eu fiquei enrolando, pensando em como organizar isso. Acabei escolhendo 3 pratos bem conhecidos pelos descendentes, presentes em dias de festa. O primeiro é um arroz rosado com feijão azuki. O nishime é um cozido com vários ingredientes e sempre tem algo que alguém goste. O último é um doce à base de azuki e gelatina de alga.

Ficou com vontade de aprender a fazer em casa?

Vai ser no dia 21 de julho, das 10 às 15 horas, com almoço, aqui em casa, em Ibiúna.

200/pessoa.

Contato pelo e-mail marisaono@gmail.com

Share This Post

Waffles

Engraçado como às vezes a gente não sabe o que uma pessoa próxima já comeu na vida. Outro dia, vendo algum programa de TV, minha mãe comentou que os waffles pareciam ser gostosos. Fiz, que ela comeu com manteiga, geleia, xarope de bordo.

É uma receita de pão fácil, mas precisa da forma própria para fazer. A minha é daquelas de usar na boca do fogão, funciona bem mas precisa cuidar da chama. Por ser revestida, não gruda. São dourados por fora, macios, não são nem muito doces, nem salgados, por isso a versatilidade de comer com o que quiser. Rende 10 unidades e a massa pode ser feita com antecedência.

240 gramas de farinha de trigo

1 1/2 colher de chá de fermento biológico seco

30 gramas de açúcar

1/2 colher de chá de sal

1/2 xícara de óleo ou manteiga derretida

2 ovos

260 ml de leite ou um pouco mais

Misture tudo e deixe fermentar por 1 hora. A massa vai ficar cheia de bolhas e com textura cremosa.

Aqueça a forma e despeja a massa nela. Não encha demais, porque pode vazar. As bolhas surgem quase que imediatamente. Feche e doure dos dois lados.

O tempo e a intensidade da chama vão variar, então não digo em quantos minutos fica pronto. Retire da forma e repita até terminar toda a massa.

Se quiser fazer mais tarde, deixe a massa na geladeira, em pote tampado. Já fiz uma noite para assar na manhã seguinte.

Sirva quente com manteiga, geleia, mel mas há quem prefira servir com sorvete, bacon, ovos, etc.

Share This Post

Fechar Um Saco Plástico Sem Seladora?

Publiquei no Instagram (marisatono) e fez um certo sucesso lá. É o tipo de dica que achei que todo mundo sabia, do tempo em que se vendiam muito peixinhos dourados para aquário na feira. Só precisa de um elástico e um saco resistente (porque você não quer que ele fure fácil e vaze, certo? Nas lojas de embalagens existem sacos próprios para alimentos e de material melhor que os que se vendem nos supermercados).

Share This Post

Azeite e Shoyu?

Dia 13 de junho o Sando Marques e eu estaremos na Casa Flor&Sal, no Jardim Paulistano. Ele, falando sobre características de azeites e apresentando bons azeites brasileiros. Eu, com receitas da cozinha japonesa contemporânea (pois é, a maioria deve pensar que eu só me interesso pelo tradicional, mas não é verdade, cozinha é algo em constante evolução) que utilizam azeite. A gente explica melhor essa história lá. Sim, vai ter degustação de 3 pratos.

Mais informações na página

https://casaflorsal.com/azeite-com-shoyu/

Share This Post