Atum “Enlatado” em Casa

CIMG0316

O retalho de atum estava a R$7,00/kg. Eram nacos de carne vermelha de perto da cauda e de outras regiões indefinidas (fica difícil de identificar partes de um peixe retalhado, convenhamos). Logo peguei um bom bocado. Em tempos bicudos, porque não recorrer à velhas soluções? Fazer conservas não é nada novo e uma forma de ter comida a qualquer hora, aproveitando o excesso da estação ou, no caso, o preço bom de um produto. Porquê não dizer que é uma maneira de combater o desperdício e fazer uma boa economia?  E sim, tenho uma despensa enorme, com muitos potinhos. Há quem diga que estou me preparando para o Apocalipse mas tudo é material de pesquisa, em última análise.

IMG_0359

O primeiro passo é retirar a pele e ossos ou espinhas e cortar em pedaços de mais ou menos 5 cm de largura (ou mais, ou menos, não importa e o formato irregular impede cubos perfeitos).

IMG_0360

Em seguida, salguei levemente os nacos de atum e deixei descansando por meia hora na geladeira. Em seguida, passei por água fria. Faço isso para eliminar parte da albumina que, durante o cozimento, irá sair da carne do peixe e formar coágulos. Não é nada ruim, só compromete a aparência.

IMG_0363

Encha potes de vidro (preferi pequenos e baixos, por conta da panela onde iriam cozinhar em seguida e pelo volume da porção). Tente não deixar muito espaço vazio no pote. Coloquei um pedaço de alho no fundo do vidro, para temperar, é opcional. Despeje óleo, passe uma faca ou um espeto em torno para que o óleo penetre até o fundo e não restem bolhas dentro do vidro. Coloque um pouco de sal em cima de tudo e, se quiser, um pouco de azeite para perfumar. É importante que o peixe fique todo coberto com óleo ou azeite, isso irá protegê-lo do ressecamento e manter a cor e a textura. Feche com a tampa e aperte bem. Sempre use tampas novas, para ter certeza de que a vedação será eficiente. Os vidros podem ser velhos, contato que a boca não esteja lascada ou trincada. Obviamente, os potes devem ser limpos.

IMG_0365

Coloque em uma panela que seja mais funda que os potes. Eu coloco um pano no fundo para que os vidros não batam entre si durante a fervura. O pano irá impedir a formação de bolhas grandes. Despeje água até acima da metade e leve ao fogo. Depois de ferver, abaixe a chama e cozinhe por 1:30 horas. Vai ser necessário acrescentar mais água e sempre adicione água fervente. Água fria poderá fazer com que os vidros se quebrem por conta do choque térmico.

CIMG0314

Não abra os potes enquanto estiverem quentes porque todo o conteúdo está sob pressão e irá espirrar em você, provocando queimaduras. Guarde depois de frios, em um local fresco e protegido da luz. Dizem que pode ser consumido em um ano, nunca deixei tanto tempo assim. De vez em quando, confira se as tampas estão bem fechadas ou se estão estufadas. Em caso de cheiro estranho, jogue fora.

CIMG0318

E então poderá usar atum diretamente do pote em sanduíches, pastas, tortas e até aquela salada de chuchu prosaica vai virar uma refeição e tanto com uns nacos desse atum.

Eu prefiro não usar muitos temperos nessa conserva porque prefiro que fique com sabor suave e seja versátil. Fica a seu critério usar ou não alho, louro, pimenta do reino, etc.

Provavelmente funciona com outros peixes de carne firme ou carnes, embora eu não tenha tentado.

 

 

 

 

 

Share This Post

Gengibre Novo

Só uma nota.

Para quem pretende fazer gari, é melhor ficar de olho nas feiras e mercearias. Já vi gengibre novo, de pele fina, macio e de cor clara. No Ceagesp o preço variava de R$5 a R$7 o quilo. Talvez abaixe mais ainda, o verão nem começou e parece que muita coisa atrasou por conta do inverno muito seco.

A receita dessa conserva eu publiquei aqui:

http://marisaono.com/delicia/?p=62

Share This Post

Asazuke de Nabo e Kimchi

Muitas vezes eu preparo pratos praticamente a partir do zero. Mas, como todo mundo, também uso produtos industrializados. São práticos, alguns são muito bons e, muitas vezes, mais baratos do que comprar diversos ingredientes e fazer em casa.

Para essa conserva, usei um preparado pronto. Conserva-se muito bem, mesmo depois de aberto, na geladeira. Este tem um sabor pronunciado de algas e, claro, pimenta vermelha. Mas não é tão picante quanto outros preparados prontos.

O preparado acima, da Momoya, costuma aparecer nas lojas de produtos orientais. A minha mãe prefere esse. Esses preparados não servem apenas para fazer kimchi. Também podem entrar em marinadas, temperar carnes, ensopados.

Asazuke de Nabo e Kimchi

Usei um nabo grande e redondo. Ele foi cortado em bastões de 1 cm de espessura. Ele foi salgado e deixado descansar até ficar bem macio e perder uma quantidade considerável de água. Enxaguei rapidamente, escorri e adicionei o preparado à gosto. Tive cuidado com o sal – o preparado já contém um tanto de sal. Deixei curtir por mais algumas horas e fui comendo com arroz branco.

Share This Post