Bad Science

Bad Science

LP me emprestou o livro “Bad Science” de Ben Goldacre. Ainda não terminei de ler, mas já posso dizer que gostei. Não se assuste com a Ciência envolvida.  A explicação sobre porque não precisamos consumir clorofila é divertidíssima, assim como a experiência “desintoxicante”. Chega a ser assustador a falta de evidência, pesquisas mal coordenadas e confusões com dados estatísticos dos casos listados. Separando fatos e mitos, ele fala sobre dietas, cosméticos, pesquisas vinculadas em jornais, suplementos, programas de tv e muito mais.

Em um dos capítulos, falando de estatísticas, ele toca em um ponto que há muito tenho discutido com amigos: a longevidade. Antes de seguir a dieta japonesa, mediterrânea ou de qualquer outro país, vale lembrar que em 80 anos ou menos, muita coisa mudou. Medicamentos (sobretudo vacinas), hemodiálise, transplante de órgãos, próteses, centros de terapia intensiva e uma quantidade enorme de cirurgias surgiram, salvando vidas e curando doenças. Não dá para concentrar apenas na dieta e estilo de vida e descartar o sistema de saúde pública do país. 

Recomendo o livro e o site Bad Science.

Share This Post

O Pedante na Cozinha

o-pedante

Este é um livro que gostaria de descoberto antes. Uns vinte anos antes, no mínimo.  Antes de ter sido enganada por fotos bonitas e receitas com instruções vagas. Levei muito tempo para entender que culinária não é uma ciência exata. Assim como o autor, cheguei à conclusão que certas experiências são válidas, mas uma vez na vida, basta. No meu caso, listaria depenar e limpar uma galinha. Na verdade, foram mais de uma. Hoje não repetiria. O cheiro de pena de galinha queimada não é nada comparado com o cheiro que vem do interior dela. Abro mão do frescor e compro uma resfriada. 

Como o autor, também não tenho o “meu peixeiro”, o “meu açougueiro”, a quem posso encomendar cortes específicos de carnes. Não passei pela experiência de assar cogumelos silvestres na minha lareira, mas possuo uma gaveta cheia de objetos estranhos e que usei muito pouco. E tenho uma lista de coisas que jamais farei em uma cozinha, por mais amor eu tenha pelos comensais.

Apesar disso tudo, ainda sou masoquista o suficiente para gastar horas fazendo amanato (feijão ou favas em calda), faço massa folhada, gasto dias trabalhando com leveduras que podem terminar em desastre e ir para o lixo ou contaminar toda minha geladeira.

E quem é o Pedante? “Não há dúvidas de que existem cozinheiros competitivos, mas o Pedante não é um deles. Ele só quer fazer comida gostosa, nutritiva; sem envenenar os amigos; só quer ampliar o seu repertório, e devagar.”

Não é um livro de receitas. Não é também um romance. É um relato divertido de um cozinheiro, listando erros, fracassos e desilusões.

O Pedante na Cozinha é de Julian Barnes, publicado pela Rocco.

Share This Post