Abaixo o Tender de Natal

presunto

Aliás, pelo que sei, o Tender só existe no Brasil. No resto do mundo, é presunto defumado, mesmo. Segundo István Wessel, a confusão ficou por conta do frigorífico Wilson, que lançou o presunto como TenderMade.

Eu nunca comi presunto defumado com abacaxi, pêssego e outras frutas em calda, muito menos com fios de ovos. Porquê? Uma vez comi um presunto caramelado e não gostei. E eu não tenho nada, absolutamente nada contra o agridoce. Simplesmente acho que presunto não combina com pêssego e outros doces em calda. Um molho de vinho branco e geléia de laranja talvez faça par melhor. Enfim, é uma birra pessoal, sim. Sem falar que lembra demais aqueles pratos que apareciam nas capas da Bom Apetite.

Por essas e por outras, passo longe do presunto natalino. Gosto dele no resto do ano, dentro de um pão, aquecido na frigideira, com ovos, com batatas, com grão de bico ou puro.

E, para quem quiser tentar fazer em casa:

Pegue um pedaço de pernil desossado, com couro. Coloque em uma salmoura (água, sal, pimenta do reino quebrada e sal de cura) por duas semanas e mantenha na geladeira. Eu injetei a solução na peça de carne com uma seringa veterinária, em vários pontos, para garantir uma absorção mais rápida e uniforme do sal. Depois disso, escorri e deixei secando, na geladeira, por alguns dias. Por fim, defumei por algumas horas e terminei o processo assando no forno mínimo, até atingir 70 graus de temperatura no interior.  Pronto, é só fatiar (retire o couro, vai estar duro e impossível de mastigar) e sirva.

Não me pergunte quantidades. O sal de cura segui as instruções do fabricante. O sal foi algo como 1 colher para cada quilo de carne, mais outra colher para cada litro de água.

Share This Post