Sorvete de Matcha

Este sorvete não é uma sobremesa para crianças. É levemente amargo, com um certo tanino e com o mínimo de açúcar. Chá verde em pó combina muito bem com creme de leite. O matcha tem aparecido cada vez mais em doces, tanto no Japão quanto fora.

2 gemas

50 gramas de açúcar

200 ml de leite

1 colher rasa de matcha (chá verde em pó)

100 ml de creme de leite

Bata as gemas com o açúcar. Adicione o leite e misture. Leve ao fogo baixo, mexendo sempre, até engrossar ligeiramente.

Dissolva o matcha em um pouco de água quente e adicione ao creme de gemas.Misture.

Adicione o creme de leite, misture e leve ao congelador. Se tiver uma sorveteira, use-a. Senão, vá misturando de tantos em tantos minutos.

Rende 2 a 3 porções.

Share This Post

An-nyu-dofu

Eu não me lembro se já comentei ou não sobre essa sobremesa, de origem chinesa, mas que tornou-se muito popular no Japão. É uma gelatina feita com kanten e leite de amêndoas, servida com calda e frutas. A gelatina costuma ser cortada em cubinhos ou losángulos e, com a calda, lembra uma sopa doce. É muito leve, refrescante.

4 gramas de kanten em pó (agar-agar)

50 gramas de açúcar

2 xícaras de água

1 xícara de leite

2 colheres de leite de amêndoas em pó (vendem em lojas de produtos asiáticos)

Calda:

400 ml de água

Açúcar a gosto (usei 150 gramas)

Misture o kanten com o açúcar. Dissolva na água. Leve ao fogo. Deixe ferver por 3 minutos.

Dissolva o leite de amêndoas em pó em um pouco de leite. Adicione o leite restante e misture à gelatina. Deixe que volte a ferver. Despeje em uma assadeira rasa, pequena, molhada com água.

Para a calda, ferva o açúcar e a água, até que dissolva. Deixe esfriar.

Depois de fria, corte a gelatina e coloque em uma tigela com a calda. Adicione frutas picadas à gosto. É comum usarem morangos, manga, kiwi, pêssegos. Eu usei frutas disponíveis: lichia, carambola, manga e uva. Se gostar, adicione um pouco de suco de limão também.

A sobremesa pode ser servida de outra maneira: despeje a gelatina em forminhas. Depois de fria, desenforme e sirva com frutas ao lado e com um pouco de calda.

O leite de amêndoas, vi em uma loja da Liberdade a R$30,00 o pacote de 500 gramas. É caro, mas rende bastante. Na falta, pode-se tirar leite de amêndoas moendo amêndoas sem pele, aquecendo no leite e espremendo ainda quente em um pano. Ou usar essência de amêndoas (não é a mesma coisa, mas não é de todo ruim).

Share This Post

Pudim de Arroz

Não é raro eu pensar em certas incoerências dos nossos hábitos alimentares. Vivemos em um país tropical mas nossas sobremesas, carregadas em cremes e açúcar, seriam mais apropriadas para lugares de clima mais ameno…

Pensando um pouco nisso e em outras coisas, fiz esse pudim de arroz. Como muitas receitas de arroz-doce levam muito açúcar e consomem muito tempo até o leite evaporar e o arroz liberar amido, parti para alterações.Muita gente reclama da textura de cremes e molhos engrossados com amido. Nem sempre são ruins. O problema é usar o amido de maneira correta.

1/3 xícara de arroz cru, lavado e deixado de molho por uma hora

1 1/2 xícara de água

3 xícaras de leite

5 a 6 colheres de açúcar

2 a 3 colheres de farinha de arroz mochi (comprei na Liberdade como “Glutinous Rice Powder” – o pacote de 1 kg custou R$6,00)

Cozinhe o arroz com a água, em fogo médio, até quase evaporar toda a água. A essa altura, o arroz deverá estar bem macio.

Adicione o leite, deixe levantar fervura e cozinhe em fogo baixo por 5 minutos, mexendo eventualmente.

Adicione o açúcar e a farinha de arroz mochi dissolvida em um pouco de leite. Misture. Continue mexendo até o creme engrossar.

Sirva frio.

Aromatizei com casca de laranja e servi com um pouco de caramelo e lascas de amêndoas tostadas. Mas, se você é como o Fábio, para quem casca de laranja lembra sempre anestésico odontológico, use canela ou baunilha.

Não experimentei com farinha arroz comum. Não sei se ficaria bom. Seria uma questão de experimentar…

Share This Post

Bavaroise

Bavaroise é uma sobremesa muito versátil. Essa, servi com molho de morangos, simplesmente liquidificados. Mas já fiz essa mesma receita e servi dentro de uma crosta de massa crocante, misturei frutas, aromatizei com diferentes essências. É muito fácil de fazer, embora um pouco trabalhosa. É delicada, não é muito doce, leve, aerada.

4 gemas

100 gramas de açúcar

400 ml de leite

1/2 de fava de baunilha

12 gramas de gelatina em pó

200 ml de creme de leite fresco, gelado, batido

Bata as gemas com o açúcar até ficarem fofas, leves e claras. Ferva o leite com a baunilha, descarte a fava. Despeje sobre as gemas batidas e misture. Leve ao fogo brando, até engrossar ligeiramente. Adicione a gelatina (que foi hidratada em algumas colheres de água fria) e misture até dissolver.

Deixe o creme de ovos esfriar (coloco sobre pedras de gelo e misturo, até engrossar e formar montinhos quando caem da colher). Adicione o creme de leite batido, em 3 vezes, misturando bem a cada adição.

Despeje em formas e leve à geladeira até ficar firme.

Share This Post

Sorbet de Melão

Bem, a receita não é nova. Eu apenas segui a receita do Sorbet de Lichia e fiz algumas pequenas alterações. Não ficou muito doce, geladíssimo e leve.

2 1/2 xícaras de melão descascado e picado
2 xícaras de água
2 colheres de chá de gelatina em pó
3 colheres bem cheias de açúcar
2 colheres de suco de limão

Leve ao fogo o melão com a água e o açúcar. Deixe ferver por 2 minutos. Enquanto isso, hidrate a gelatina em um pouco de água. Desligue o fogo, acrescente a gelatina hidratada e misture. Junte o suco de limão e leve ao congelador até firmar. Quebre em pedacinhos e bata no multiprocessador, até ficar liso. Sirva imediatamente.

PS: Fica melhor com algumas gotas de óleo de melão. Para atingir essa cor, usei um pouco de corante alimentício verde.

Share This Post

Steam Cheese Cake

Para meu amigo Luiz Paulo. Nós comemos um pedaço desse bolo outro dia e ele queria a receita. Esta é a minha versão.  É outro doce que costuma aparecer com frequência nas confeitarias japonesa e até em lojas de conveniência.

Esse bolo de queijo tem uma textura única. Como é assado no banho-maria, fica úmido e tostado em cima. No entanto, não é um pudim. É aerado, leve e não é muito doce. Importante: Não use manteiga com sal, o queijo cremoso já tem sal demais.

250 gramas de queijo cremoso

20 gramas de açúcar

80 gramas de manteiga

3 gemas

120 ml de creme de leite fresco

Suco de 1/2 limão

Gotas de baunilha

3 claras em neve

50 gramas de açúcar

50 gramas de farinha de trigo

Amoleça o queijo (se estiver muito gelado, leve ao microondas por alguns segundos) e bata com o açúcar e a manteiga, formando um creme.

Adicone as gemas e bata bem. Acrescente o creme de leite, o suco de limão e a baunilha.

Bata as claras em neve, adicione o açúcar aos poucos e bata mais um pouco.

Adicione 1/3 das claras batidas ao creme de queijo. Misture. Junte a farinha. Misture. Por fim, adicione a clara restante e misture.

Leve ao forno moderado, banho-maria, em forma untada ou forrada com papel manteiga, até corar. Sirva fria. Gelada, ela perde um pouco em textura e sabo, né não, LP?

Share This Post

Custard Pudding

Ou crème caramel. Esse pudim é vendido em quase toda confeitaria no Japão (e existem versões industrializadas, mas não é a mesma coisa). A receita por si só é perfeita. Mas se puder, use açúcar demerara para a calda, ela tem uma cor linda e o sabor, maravilhoso.

Custard Pudding

500 ml de leite integral

125 gramas de açúcar

1 fava de baunilha

4 ovos grandes (se usar ovos caipiras, o pudim ficará mais amarelinho)

Para o caramelo, use 200 gramas de açúcar cristal ou demerara e 100 ml de água

Abra a fava de baunilha e raspe a parte interna. Coloque esses minúsculos grãos em uma panela com o leite e a fava aberta. Leve ao fogo para ferver. Retire a fava.

Bata os ovos com o açúcar até ficar claro e fofo. Despeje o leite quente, aos poucos, misturando.

Passe em uma peneira. Com uma colher, retire toda a espuma que houver na superfície.

Despeje em forminhas carameladas.

Leve ao forno moderado, em banho-maria, por cerca de meia hora. Cuidado para não cozinhar demais. O pudim é mais delicado que o feito com leite condensado. Desenforme depois de gelado.

Share This Post

Folhado com Abacaxi

Sobremesa feita às pressas para o almoço – uma amiga da mãe veio nos visitar. Apenas abri massa folhada (que eu tinha já feito), cortei em discos, fiz cortes com outro disco maior, mas sem destacar totalmente. Uma metade, depois outra metade. Cruzei as tiras, formando uma borda, pincelei com gema e assei – primeiro em forno alto para crescer, depois em forno baixo, para secar.

Derreti um pouco de chocolate, passei no interior de cada tortinha. Fiz isso para que o creme não entrasse em contato com a massa e ela perdesse a crocância com a umidade. Por fim, creme de baunilha bem simples, um pouco firme e pedaços de abacaxi em compota. Poderia ter sido outra fruta, mas era o que eu tinha na hora.

Share This Post

Gelatina com Coco e Manga

Gelatina com Manga

Pensei em chama-lo de manjar ou de flan. Mas não tenho certeza de como seria melhor. Por enquanto, como é feito com gelatina de alga (kanten), fica como gelatina.

Ficou leve, não usei açúcar e, apesar da inspiração ser asiática, está com toda cara de sobremesa tropical.

800 ml de leite

200 ml de leite de coco

Adoçante a gosto ou açúcar (cerca de 1 xícara)

5 gramas de gelatina de alga em pó (kanten)

1/2 manga tommy grande, cortada em cubinhos.

Leve ao fogo o leite, o leite de coco, a gelatina e o adoçante, mexendo eventualmente até ferver. Abaixe o fogo e cozinhe por dois minutos.

Enquanto isso, distribua os cubinhos de manga em forminhas ou em um molde. No caso, eu usei uma com divisória, japonesa, por isso o formato quadrado.

Ainda quente, despeje a gelatina dentro da forma. A gelatina de alga endurece muito rápido e, ainda morna, já está firme.

Sirva gelado. Eu não costumo comer sobremesas assim com molhos, mas nada impede de servia-la com uma calda de açúcar queimado ou mascavo, bananas carameladas ou talvez um abacaxi caramelado. A vantagem da gelatina de alga é que ela suporta bem calor e poderia ser acompanhada por uma calda quente.

Share This Post

Flan de Pêssegos

O que fazer com pêssegos não muito bons? Bem, poderia fazer compota, mas eram só meia-dúzia e não eram grandes. Não valia a pena fazer geléia também.
Então fiz um flan, sem açúcar. Quase diet, diria, se não fosse pelos dois ovos e pela colherada de açúcar que usei para formar a crosta dourada. Receita de índice glicêmico baixo.5 ou 6 pêssegos médios frescos.
200 ml de leite
2 ovos
Adoçante (o equivalente a 3/4 xícara de açúcar, mais ou menos)
Baunilha
1 colher de sopa de açúcar cristal.

Descasque os pêssegos. Afervente-os rapidamente, a pele se soltará facilmente. Corte ao meio, elimine as sementes, fatie e coloque em um refratário.
Bata os ovos, junte o adoçante, o leite e a baunilha.
Despeje sobre os pêssegos e leve ao fogo, em banho-maria.
Asse até que as bordas fiquem firmes e o meio, um pouco cremoso.
Deixe esfriar, leve à geladeira para gelar. Um pouco antes de servir, salpique açúcar e queime a superfície com um maçarico.
Rende umas quatro porções.

Share This Post