Torta Com Mistura Pronta

Sabe a mistura pronta para Hot Cakes que publiquei outro dia? Pois então, essa massa não vai muito açúcar porque rende outras coisas, como essa torta tipo pizza (OK, não é pizza mas “pizza”, quem viveu nos anos 70 e 80 provavelmente conheceu dessas pizzas rápidas, que apareciam em festinhas infantis). E é muito fácil de fazer. Você só vai precisar da mistura pronta e de creme de leite – aqueles de caixinha, com menor teor de gordura funcionam lindamente. Quanto à cobertura, fique à vontade. Usei sardinha, cebola, tomate, azeitona e parmesão ralado por saudosismo.

2 1/2 xícara de mistura pronta

200 ml de creme de leite (pode ser uma caixinha)

Misture tudo, sem sovar, até formar uma massa homogênea.

Abra em uma assadeira untada.

Leve ao forno aquecido até que a superfície fique com aparência seca e as bordas começarem a dourar.

Cubra com o que gostar.

Retorne ao forno para terminar de assar, até que as bordas estejam bem douradas.

A massa fica macia e com o fundo e as bordas um pouco crocantes. Se quiser toda torta crocante, abra em uma forma maior, deixando a massa bem fina.

Fica bom frio, o que é ótimo para levar como lanche.

Vai para a categoria “Cozinha do Desespero” porque é muito rápido, vira uma refeição com uma salada e ainda rende a marmitinha do dia seguinte!

 

Share This Post

Quiche de Alho Porro, A Pedidos

IMG_5110

Já publiquei algumas receitas de quiche. Elas estão aqui:

Quiche de Espinafre

Quiche de Portobelo e Alho Negro

Quiche Sem Massa Limpa Geladeira

IMG_5105

 

Publiquei a foto no Facebook e pediram para que publicasse a receita deste. Os alhos porro de casa estão bonitos e resolvi aproveitar. Na feira estão entre 1,50 a 2 reais cada um. Fiz essas quiches com massa bem fina, renderam 3 (uma com 22 cm de diâmetro e outras duas com cerca de 16 cm de diâmetro). Fiz a mais para congelar e poder comer em um dia em que esteja com muita pressa.

 

Para a massa:

300 gramas de farinha de trigo

150 gramas de manteiga sem sal

2 ovos

Sal à gosto

 

1 gema, para pincelar

Para o recheio:

3 a 4 alhos porro, somente a parte clara e macia, cortados em rodelas

100 a 150 gramas de queijo (quando o orçamento dá, uso gruyere; prato ou reino também servem)

3 ovos (usei ovos caipiras porque é o que tenho por aqui)

3/4 xícara de creme de leite fresco

Sal e pimenta do reino

IMG_5106

Bata no processador a manteiga gelada com a farinha, até formar uma farofa. Adicione os ovos e o sal e processe até a massa embolar.

Divida a massa em porções e abra entre duas folhas de filme plástico. Prefiro a massa fina. Forre com essa massa 1 forma de 22 cm de diâmetro e 2 formas de 16 cm (ou faça meia receita e use em uma forma de 22 cm).

Pincele a parte interna da quiche com gema batida. Ela vai ajudar a impermeabilizar um pouco a massa e ela ficará mais crocante, mesmo depois de recheada.

Leve ao forno até começar a dourar.

Enquanto isso, refogue o alho porro com um pouco de óleo e sal até murchar.

Bata os ovos com o creme de leite, tempere com sal e pimenta do reino.

Espalhe um pouco do alho porro no fundo de cada crosta assada. Distribua o queijo ralado grosso e o creme de ovos e queijo. Prefiro não usar muito recheio, acho que fica desequilibrado. Mas isso é uma questão de gosto. Se quiser usar mais recheio, faça mais.

IMG_5113

Leve ao forno até o creme dourar. Sirva morno. Dependendo do forno, talvez seja necessário colocar uma placa embaixo, para que a massa não queime.

Congelo dentro da forma mesmo, bem embrulhado com um filme plástico. Costumo consumir em 2 semanas. Aqueço no forno antes de servir. Dependendo do dia, pode ser uma refeição, se acompanhada por uma salada, por exemplo.

 

 

Share This Post

Torta de Amoras e Amêndoas

IMG_5115

 

Por aqui já estamos nas últimas amoras da temporada. Já fiz geléia, muitos potes, que irão virar biscoitos, vão para amigos e sei lá mais o quê. Mas queria fazer algo um pouco diferente, aproveitar a fruta fresca. Fiz uma torta com creme de amêndoas, que leva manteiga (sim, não é uma torta leve, é bem substanciosa) e assei duas formas pequenas (com cerca de 18 cm de diâmetro). Cada uma rende 4 porções que satisfazem. E é tudo muito fácil de fazer. Só sujei a jarra do multiprocessador.

IMG_5106

Para a massa:

200 gramas de farinha de trigo

80 gramas de manteiga gelada

1 a 2 colheres de açúcar

1 ovo

Bata no processador a farinha com a manteiga gelada até formar uma farofa grosseira. Junte o ovo e o açúcar e processe até a massa embolar, como na foto.

Para o recheio:

150 gramas de farinha de amêndoas

150 gramas de açúcar

150 gramas de manteiga

150 gramas de farinha de trigo

2 ovos

Baunilha à gosto

Processe a farinha de amêndoas com o açúcar e manteiga. Adicione a farinha, os ovos e a baunilha e processe até misturar tudo. Ou, se preferir, nem use o processador, bata a manteiga com o açúcar à mão, adicione os ovos um a um e depois os demais ingredientes.

IMG_5107

Divida a massa entre 2 formas com cerca de 18 cm de diâmetro. Ou faça em uma forma maior. Se quiser uma torta perfeita, bonita, abra a massa entre dois pedaços de filme plástico . Mas se você não está concorrendo a nenhum concurso culinário e tem pressa, como eu, pode abrir com as pontas dos dedos mesmo.

IMG_5109

Leve as tortas para o forno pré-aquecido até começarem a dourar. Retire do forno, recheie com o creme de amêndoas e encha com bastante amoras. Ou framboesas. Ou, se o orçamento permitir, cerejas. Afunde um pouco as amoras no creme. Leve ao forno novamente mas abaixe um pouco a temperatura, para que o creme cozinhe sem dourar demais. Asse até o centro ficar firme. O recheio vai ficar um pouco úmido.

IMG_5112

Se quiser, salpique açúcar de confeiteiro antes de servir. Fiz duas, pretendo congelar uma, acho que não vai ficar ruim depois de descongelada, não.

É uma torta muito rica em manteiga, gorduras. Eu me servi de uma fatia pequena e fiquei satisfeita. Comi à temperatura ambiente, não creio que seja tão boa quente nem muito gelada.

 

Share This Post

Quiche de Portobelo e Alho Negro

Pensei que já havia publicado essa receita. Usei portobelo, mas poderia ter usado champignon ou outro cogumelo.

Para a massa:

150 gramas de farinha de trigo

75 gramas de manteiga gelada, cortada em cubos

Sal

1 ovo

1 colher ou pouco mais de água

1 gema

Recheio

1 bandeja de cogumelos limpos e fatiados – eu não lavo cogumelos, passo um papel toalha para retirar a sujeira; cogumelos absorvem muita água e perdem sabor depois de lavados

6 dentes de alho negro picados

2 ovos grandes, batidos

100 ml de creme de leite fresco

150 gramas de queijo emmental, ralado no ralo grosso

Pimenta-do-reino e sal

Primeiro faça a massa. Coloque a manteiga, a farinha e o sal no multiprocessador e, pulsando, obtenha uma farofa. Adicione o ovo e 1 colher de água. Pulse mais um pouco até obter uma bola de massa.  Retire do jarro, forme um disco e embrulhe com filme plástico e deixe na geladeira por algumas horas, até firmar.

Enquanto isso, refogue os cogumelos com um pouco de manteiga até ficarem quase sem água. Tempere com sal e pimenta e deixe esfriar.

Abra a massa entre duas folhas de filme plástico e forre uma forma de quiche. Essa massa pode ser aberta bem fina, se preferir. Nesse caso, usará metade dela. O resto pode ser congelado para outra vez.

Pincele todo o interior com gema batida e leve ao forno quente até começar a dourar um pouco as bordas. A gema vai impedir da massa ficar encharcada com o recheio.

Coloque os cogumelos e o alho negro picado no fundo. Cubra com queijo ralado grosso e despeje os ovos batidos com o creme de leite, temperado com sal e pimenta. Leve ao forno quente até dourar a superfície.

Deixe descansar uns 5 minutos antes de servir. O recheio cresce um pouco, é normal.

Share This Post

Tarte Aux Poires

Esta torta é a minha favorita e não sei como ainda não publiquei. É delicada, os sabores e texturas combinam muito bem e não é difícil de fazer. Já vou avisando que não é muito doce. Aproveitei umas peras que eram mais firmes (Abatte Fetel). Prefiro comer essa torta à temperatura ambiente.

Descasque e parta ao meio 4 peras. Conforme for descascando, coloque-as em água com suco de limão para que não escureçam. Cozinhe com água, açúcar e um pouco de limão até que fiquem macias. Não dou quantidade de açúcar, fica a seu gosto. Eu prefiro usar pouco açúcar. Deixe esfriar e escorra da calda.

Para a massa:

150 gramas de manteiga amolecida

100 gramas de açúcar de confeiteiro

1 ovo médio

250 gramas de farinha de trigo

Bata o açúcar com a manteiga. Adicione o ovo, bata mais um pouco e adicione a farinha. Misture com uma espátula. Cubra com um filme plástico e leve à geladeira por 2 horas ou mais, até ficar bem firme.

Divida a massa ao meio. Embrulhe uma parte em um filme plástico e guarde. Pode congelar e usar mais tarde.

A outra parte, divida ao meio e abra fino (3 mm de espessura). Fica mais fácil se abrir entre dois pedaços de filme plástico. Forre duas formas para quiche com 16 cm de diâmetro.

Para o recheio:

60 gramas de manteiga amolecida

60 gramas de açúcar

60 gramas de ovo (um ovo grande)

60 gramas de farinha de amêndoa

Gotas de baunilha – se puder, use um bom óleo de baunilha

Bata a manteiga com o açúcar, adicione o ovo, bata mais um pouco, adicione a farinha de amêndoa e a baunilha e misture. Divida entre as duas formas e alise com as costas de uma colher.

Sobre a pasta de amêndoa arrume 4 metades de pera cozida. Leve ao forno médio, pré-aquecido, até que as bordas fiquem bem douradas. Espere esfriar antes de cortar. Para uma aparência perfeita, pincele com geleia de damasco.

Share This Post

Chicago Pan Pizza

Eu gosto dessa pizza. E antes de começar a levar pedrada dos italianos e descendentes, mais os pizzaiolos de todo Brasil, já vou avisando que não concordo com o “pizza”. Poderia ser “torta de pão” ou coisa do gênero. Trata-se de uma massa fermentada assada em uma forma, com bordas altas e muito recheio. O truque para ficar com uma casquinha crocante e bem assada por baixo sem ressecar a cobertura é usar uma panela ou frigideira de ferro. Ela é aquecida na boca do fogão, é bem untada e recebe a massa. Só depois é que vai para o forno. Ou seja, a assadeira já está quente e assa por igual. E quer saber de outra coisa boa? Essa “pizza” requenta muito bem. É só colocar em uma frigideira de fundo grosso, tampar e levar ao fogo bem baixo.

3 xícaras de farinha de trigo

1/2 sachê (5 gramas) de fermento biológico seco instantâneo

1 colher de chá de sal

1 colher de chá de açúcar

Água morna o quanto baste

1/2 xícara de azeite ou óleo

Misture a farinha, o açúcar, o sal e o fermento. Vá acrescentando a água e sovando. Lembre-se que a massa, para ficar macia, deve ser também macia. Ou seja, a massa será um tanto quanto pegajosa. Trabalhe por cerca de cinco minutos, não é preciso sovar com tanta paixão. Acrescente o azeite ou óleo e sove mais um pouco. Cubra e deixe fermentar.

Abaixe a massa com o punho fechado. Divida a massa em duas porções. Aqueça o forno até ficar bem quente. Quando estiver com o forno quente, leve ao fogo uma frigideira ou panela de ferro (eu usei minha panela de sukiyaki, que tem alças também de metal). A frigideira ou panela tem que estar quente mas não a ponto de soltar fumaça. Unte bem com azeite ou óleo e abaixe o fogo para o mínimo.

Abra a massa com as mãos ou com a ajuda de um rolo. Coloque na frigideira e com as pontas dos dedos estique e forme a borda. Não precisa correr, não. Coloque o recheio. No caso, usei presunto, queijo e tomate picado em uma e linguiça com cebola, molho de tomate, tomate e queijo. Mas fica também muito bom com berinjelas refogadas com alho, linguiça com cebolas, enfim, coloque o que gostar.

Leve ao forno. Tenha certeza de que a grade do seu forno aguenta todo esse peso. Asse em temperatura alta até que as bordas dourem. Confira se a parte de baixo também está dourada. Para tirar da frigideira usei duas espátulas.

E gostaria de agradecer aos generosos doadores do blog. Graças a eles comprei uma câmera nova, um pouco melhor da que eu tinha. A primeira foto foi tirada com essa câmera (Canon  SX150-is, se querem saber) e a segunda, com a compacta. Dá para notar a nitidez, não? Ela é bem melhor para fotografar com pouca luz.

 

Share This Post

Rare Cheese Cake Diet

A primeira vez que provei essa sobremesa, fiquei surpresa com a leveza. O creme desaparecia na boca. Não é do tipo de cheese cake que estamos acostumados a ver por aí. É uma mousse de queijo, com um toque de baunilha sobre um fundo. No Japão usam um disco fino de pão-de-ló. Substituí por uma crosta de biscoito porque é muito mais fácil. Não vai ao forno, é fácil e não levou nada de açúcar. Mas se preferir o açúcar, substitua na mesma medida. Usei adoçante culinário.

Crosta

100 gramas de biscoito diet integral (usei um que continha castanhas)

50 gramas de manteiga amolecida

Recheio

75 gramas de cream cheese (usei o light)

1 gema

50 ml de leite

1 colher de sopa de adoçante culinário

1 colher de chá (rasa) de gelatina incolor em pó

200 ml de creme de leite gelado

3 colheres de sopa de adoçante culinário

Gotas de essência de baunilha

Triture os biscoitos no processador de alimentos. Adicione a manteiga, misture bem e despeje em uma forma de 18 cm de diâmetro. Espalhe e comprima com as costas de uma colher. Reserve.

Hidrate a gelatina em pó em uma colher de água. Reserve.

Bata a gema com a colher de adoçante, até ficar de cor clara. Enquanto isso, aqueça o leite. Despeje o leite quente sobre a gema, misture bem e leve ao fogo bem brando até engrossar. Retire imediatamente do fogo. Adicione a gelatina e misture bem. Espere amornar um pouco e adicione o cream cheese. Misture bem. Deixe esfriar.

Bata o creme de leite. Adicione as 3 colheres de adoçante e bata até formar um creme leve e fofo. Adicione metade do chantilly ao creme de queijo frio. Misture bem, sem bater. Adicione o restante do creme batido, aromatize com baunilha e misture bem, com movimentos suaves de baixo para cima.

Despeje sobre a crosta de biscoito. Alise a superfície. Se tiver dotes artísticos, reserve um pouco do creme, coloque em um saco de confeitar e faça pitangas, cobrindo a torta. Eu preferi passar a espátula e deixa-la lisa.

Leve à geladeira até ficar firme. Se gostar, acompanhe com uma calda de frutas.

 

Share This Post

Tarte Genevoise

Eu pretendia publicar uma receita de kare-pan. Mas o fato é que não ficou bom. Outro dia faço novamente e até lá penso no que deu errado desta vez. Em vez disso, publico a torta de maçãs que fiz neste final de semana. Mas não é uma torta de maçã qualquer, é uma torta feita com maçãs fatiadas, envoltas em manteiga, açúcar e ovos e, por fim, cobertas com lâminas de amêndoas. Ou seja, é uma torta muito rica. A mistura de ovos e manteiga se junta ao líquido das maçãs e forma um creme.  E não é muito doce, por isso mesmo salpiquei açúcar por cima. A receita não é minha, tirei de um velho e companheiro livro japonês : Quelque leçon de pâtisserie – Ninki no Cake, autores diversos.

Massa (Pâte à Tarte)

250 gramas de manteiga

50 gramas de açúcar de confeiteiro

5 gramas de sal

1 ovo

50 ml de água

500 gramas de farinha

Recheio

Cerca de 5 maçãs pequenas descascadas e cortadas em fatias finas

100 gramas de manteiga

100 gramas de açúcar

2 ovos

Essência de baunilha à gosto

Lâminas de amêndoas

Açúcar de confeiteiro

Para a massa:

Bata bem a manteiga com o açúcar. Junte o ovo batido com a água e adicione a farinha, misturando sem sovar. A massa é bem mole. Embrulhe em um filme plástico e deixe na geladeira por horas, até firmar. Abra com um rolo e forre uma forma para torta. Não tenho certeza do tamanho da minha, mas creio que é de 28 cm. Para que a borda não desabe, tenha o cuidado de deixar sobrar um pouco de massa nas bordas, ultrapassando a parede.

Acomode as fatias de maçã dentro da massa, até quase encher. A quantidade vai variar conforme o tamanho das maçãs. Se forem grandes, vai precisar de menos.

Derreta a manteiga, bata com os ovos, açúcar e essência. Despeje lenta e cuidadosamente sobre as fatias de maçã, tentando distribuir de maneira uniforme.

Cubra com lascas de amêndoas e leve ao forno pré-aquecido (cerca de 190°C, de médio para quente), até dourar bem, tanto o recheio quanto as bordas.

Salpique açúcar de confeiteiro na hora de servir. Eu prefiro essa torta fria, mas não gelada.

Share This Post

Torta de Pão do Desespero

A preguiça pode ser mãe de algumas invenções. Com pão de forma rendendo na geladeira há alguns dias, algumas sobras de frango, um pedaço de queijo, ovos, manteiga, poderia ter feito um sanduíche. Mas acabei fazendo uma brincadeira que rendeu uma torta. Não é uma receita, é só uma idéia: pegue fatias de pão de forma sem casca, passe manteiga em um dos lados e forre uma forma de torta, com o lado com manteiga virado para a baixo e lados. Para facilitar o encaixe, cortei as fatias em triângulos para encaixar melhor no fundo.

Cacei restos de um franguinho desfiado, distribuí no fundo (bem que poderia ter usado algum vegetal, como cebolas refogadas, brócoli, abobrinha, etc), queijo em cubinhos e despejei uma mistura feita com 4 ovos, 1 xicara de creme, sal e pimenta do reino. Levei ao forno até corar. Não ficou mau, não. O pão ficou crocante e torradinho nas laterais e a torta ficou úmida no interior.Vale para um lanche ou um jantar de sexta-feira (quando a geladeira parece não ter muitas opções).

Share This Post

Torta de Caqui

Está na época de caqui. No Japão diziam que era rico em fibras e licopeno. Confesso que não fui atrás da informação. E também confesso que nunca fui fã do caqui molengo, prefiro do tipo mais firme, durinho. Mas com tantos caquis em casa, mais do que eu poderia consumir, mesmo que gostasse, acabei tentando uma torta.

Sempre achei que caqui daria uma geléia de boa consistência. Lembrei das tortas recheadas com geléia de frutas. Não cozinhei o caqui. Ele foi passado na peneira e levemente adoçado. A massa, grossa, absorveu parte da umidade do recheio. Não ficou crocante, claro, ficou parecendo um bolo mais pesado.

Massa

100 gramas de manteiga gelada

2 xícaras de farinha de trigo

2 ovos

3 colheres de sopa de açúcar

3 colheres de chá de fermento em pó

1/2 xícara de leite

Recheio

Cerca de 8 caquis grandes, bem maduros, descascados e passados pela peneira ou passaverdura

Açúcar à gosto (usei só 4 colheres de sopa)

Suco de meio limão

Misture a manteiga com a farinha e o açúcar, até formar uma farofa grosseira. Junte o fermento, misture. Adicione os ovos batidos e o leite aos poucos, misturando sem sovar. Deverá ficar uma massa macia, meio pegajosa.

Abra parte da massa (cerca de 2/3) com as pontas dos dedos em uma assadeira de fundo removível. Cubra os fundos e os lados.

Despeje o recheio. Para o recheio, basta misturar tudo. Se quiser adicionar outra aroma (canela, baunilha, raspas de limão, etc), use. Eu preferi fazer só com caqui, mesmo. O limão entrou só para equilibrar um pouco a doçura.

Leve ao forno pré-aquecido, forno médio para alto. Quando as bordas começarem a dourar e ficar um pouco firme, retire do forno.

Com o restante da massa, faça rolinhos e prenda-os nas bordas da torta. O recheio estará quente e não estará muito firme. Tenha  cuidado para não se queimar. Volte ao forno médio e deixe terminar de assar, até a grade de cima ficar dourada. No meu forno, precisei colocar outra assadeira embaixo, para não queimar o fundo da torta.

Retire do forno e espere esfriar antes de cortar. O recheio ficará com uma consistência cremosa, mas firme o suficiente para ser cortada sem escorrer, quase um flan.

PS: Da próxima vez, creio que farei em uma assadeira maior e mais rasa. Acho que ficou com muito recheio. Desta vez usei uma forma de apenas 18 cm de diâmetro.

Share This Post