Ovos Quentes

Já contei que a primeira coisa que aprendi a cozinhar foram ovos quentes (ou ovos de 3 minutos)? As peças da foto acima foram presente de duas pessoas que sabem o quanto eu amo ovos. O da esquerda, é para os ovos quentes, cozidos por apenas 3 minutos. A clara fica cremosa e a gema, crua. Para comer, corta-se um tampo e eu uso uma colherzinha. De tempero, umas gotas de shoyu (embora o comum seja sal e pimenta do reino). Já o da esquerda, é um egg cloddler. A porcelana é untada com um pouco de manteiga e um ovo é quebrado dentro. Leva-se para cozinhar em banho-maria por 7 a 8 minutos. Variações com cogumelos, presunto ou queijo são possíveis.

Agora, para quem não tem nenhum dos dois e quer ovos quentes (ou mesmo cozidos) com uma apresentação diferente? Folheando meus livros, vi uma receita de mizu manju (uma bolinha de doce de feijão – anko – envolvida com uma camada transparente de kudzu), que era feita em forma de trouxinha. Veio a idéia do ovo.

Use sempre ovos bem frescos. O sabor é diferente e a textura da clara é mais firme. Pegue um pedaço de filme plástico e pingue algumas gotinhas de óleo. Unte-o e coloque o filme em uma forminha, com a parte untada para cima. Quebre um ovo, com cuidado, dentro.

Junte as pontas e feche o pacotinho usando uma borracha. De preferência, não deixe ar dentro, porque formarão bolhas e comprometerão o resultado.

Coloque a trouxinha em uma panela com água fervente. Cozinhe de 3 a 4 minutos, dependendo do ponto que preferir. Com 3 minutos, a gema ainda estava bem líquida, como aparece na foto (abri um pouco para exibir a gema). Dê um mergulho rápido em água fria, para que a clara fique um pouco mais firme e fácil de manusear. Corte o filme com cuidado e coloque em uma tigelinha.

Daí, é só regar com manteiga derretida, temperar com sal, pimenta, adicionar cogumelos ou aspargos refogados, cebolinha picada, enfim, as opções são muitas. Eu gostaria de come-lo sobre uma salada de batatas, ainda morna.

Share This Post

15 comentários em “Ovos Quentes”

  1. Oi, caí aqui por acaso e a-do-rei a idéia! Nunca fui muito fã de ovos, mas recentemente comi um ovo poché no vinho tinto que me fez mudar de idéia… e ontem mesmo comprei ovos fresquinhos. Vou adorar testar a sua receita!
    Bjs

  2. Marina, Paul Bocuse tem uma receita de ovo poché no vinho, que já vi mas nunca fiz.
    Amo ovos (embora minha cardiologista não recomende) e, quando encontro, prefiro os ovos caipiras ou orgânicos, com gema de cor bem viva. Infelizmente, no Brasil, a data nas embalagens pouco significa. É a data da embalagem e não o da postura…

  3. Oi. Gostei da ideia, tem muito bom aspecto. Mas fico com dúvidas em relação a submeter a película a 100 graus. Isso não será pouco saudável? Alguns componentes químicos da película não poderão passar para o ovo?

  4. Não. O filme plástico para alimentos (pelo menos o que eu uso) é completamente seguro até a 130 graus.
    E mesmo que houvesse alguma possibilidade de intoxicação, não é algo que alguém comeria todos os dias, reduzindo em muito a possibilidade de haver algum problema de saude devido a isso. Para mim, muito mais preocupante são elementos que são impossíveis de fazer um controle, como água, o ar que respiramos e produtos de uso diário (tanto alimentos quanto produtos de limpeza, higiene, etc).
    O que eu quero dizer é que o termo saudável me parece ser um tanto enganoso. A cada dia eu me convenço mais de que não há nada que em excesso não faça mal. Nem mesmo água. A grande questão é o quanto nós podemos consumir e quanto é eliminado pelo nosso organismo. Como são muitos elementos, acho que a coisa mais sensata é ser moderada em tudo…

  5. Fiquei muito interessado! Fiz cirurgia bariátrica (gastroplastia redutora) há 10 dias e isso o cirurgião disse que eu podia comer – até recomendou… Mas minha preocupação (depois de falar com a nutricionista) é com o risco de SALMONELLA…

  6. Eu não me preocupo com o risco da salmonella em ovos quentes, já que a gema começa a coagular acima de 60 graus. Tenho mais receio em maioneses e no ovo cru. Pena que não é tão fácil encontrar ovos pasteurizados (vendidos em caixas tetrapack) para fazer esses preparados.

  7. Marisa, muito obrigado pela dica, que espetáculo de apresentação!
    Érico, a Salmonella produz toxinas termo-resistentes, que causam a intoxicação alimentar. Isso significa que o problema é no ovo e não no modo de servir. Se o ovo estiver contaminado, você pode cozinhar durante horas à temperatura que bem entender que a toxina já vai estar lá. A Marisa disse muito bem que o ovo começa a mudar a 60 graus, temperatura mais do que suficiente para matar a bactéria em questão, interrompendo a produção da toxina, se o ovo estiver contaminado, mas não descontaminando dele de toxinas que eventualmente já tenham sido produzidas. O perigo da maionese é que justamente, como você não cozinha o ovo em momento nenhum, a bactéria continua crescendo à vontade mesmo depois de a maionese estar pronta. Abraços.

  8. Marisa! Amei seu blog e ainda mais as suas receitas. Adoro comida oriental, mas aqui no Sul é muito difícil achar um restaurante típico e os produtos para cozinhar então nem se fala.
    Descobri seu blog há umas duas semanas e quando vi aquela receita (não me lembro o nome…) feita com papel arroz e recheio vegetal, bah! No mesmo dia fui procurar na internet e encontrei uma loja da Liberdade que vende produtos orientais. Em menos de 5 dias o pacote de papel arroz chegou e eu fui correndo fazer a receita! No início tive um pouco de dificuldade em enrolar, pois eles rasgavam, mas depois peguei o jeito.
    Hoje vou fazer essa do ovo, achei demais. Amo ovos. Mas é raridade pura achar frescos…
    Ah! E também já estou a procura da farinha de arroz para fazer os mochis, dos deuses!
    Um grande abraço e parabéns!

  9. prezada Mariza, necessito de uma informação: onde posso adquirir estes copos que voce chama de egg clodder?
    Tenho dois mas necessito comprar mais alguns para presentear um grande amigo.
    Agradeço sua resposta.
    Abraços, Engels.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *