Primeiro Dia de 2011

No primeiro dia do ano, fui conhecer a Flora da Marta, em Ibiúna. Como sou atrapalhada  de nascença, errei o caminho e cheguei depois do combinado, mas não foi um drama. De cara, uma bela orquidea exibia seus cachos amarelos em frente da casa.

Eu não sabia que salgueiro dá flor. E é uma flor bem curiosa!

A mãe ficou encantada com as acerolas, enormes!

E a flor da acerola é delicada. O curioso é que no pé haviam frutos maduros, verdes, botões e flores. Sinal de que a colheita ainda vai ser longa.

Outra coisa que me deixou impressionada foi árvore, um pé de castanhas portuguesas. Talvez não dê para ter idéia do tamanho dela, mas é enorme. Impressionada, perguntei a idade do pé. 50 anos! E produzindo. Fui avisada que a safra será em março e prometi preparar yokan de castanhas, castanhas na calda, manju de castanhas…

Bom, claro que havia comida. Mesa nikkey no Brasi em dia de festa é farta. Eu adorei essa beringela com molho de pasta de soja -um clássico da cozinha japonesa. O detalhe é que a beringela é especial: redonda, macia mas não molenga, com poucas sementes, muito delicada. Já estou pensando em procurar a semente para plantar por aqui…

Como era dia de festa, tinha sashimi. Me lembrei da época em que sashimi era exótico e em muitas cidades do interior do Brasil, coisa impossível. Os peixes nunca eram bons, sequer razoáveis. O transporte não era aquelas coisas, assim como as estradas e os caminhões não dispunham de um sistema de refrigeração: o peixe não estragava graças às caixas de isopor e muito gelo. É, sou velha.

Também tinha carpaccio, com azeite, um toque cítrico e cebolas. Estava muito bom!

E também tinha sushi, que deixou todo mundo dizendo o quanto era feliz por poder comer algo tão bom. Não tirei foto do inarizushi – sushi dentro de um saquinho de tofu frito – aromatizado com yuzu e tirinhas de miyoga (um botão de uma planta que é parente do gengibre). Também não tirei foto de tantos outros pratos: cozido (nishime), carne assada, lasanha, cuscus paulista, salada de harusame, conservinha de pepino, kibe, empada, pavê, torta de pêssego, canudinhos, melancia, saquê e uma bebida vinda de Yawate, feita com umê… Estou esquecendo de alguma coisa? Talvez. Era muita comida. E muita conversa. Acabei esquecendo de tirar foto da mesa comprida na varanda, cheia de gente, falando sobre cultivo de cogumelos, flores, plantas, trânsito em São Paulo, dieta e um mundo de coisas em dois idiomas. E -que gafe! – esqueci de tirar foto até dos anfitriões. O olha que nem bebi. Esqueci o meu lado blogueira que registra tudo e só desfrutei.

Se por um lado esqueci de registrar em foto, aprendi algumas coisinhas a mais sobre cozinha japonesa, cheguei à conclusão que jamais arriscarei fazer sashimi em casa e ainda por cima, ganhamos mudas de figueira, de cerejeira, sementes de chá, mudas de flores, uma muda de orégano que eu não tinha. Também esmaguei folhas de cravo e de canela, para sentir o perfume, mastiguei uns araçás e prometi muito. Prometi tentar descobrir porque o pé de jaca não vinga, prometi investigar o cultivo de uns cogumelos que não têm por aqui, prometi fazer doces, ai, ai, comecei o ano prometendo muito. Mas de barriga cheia…

Share This Post

5 Comments

  1. Diulza

    Marisa que bom que festa linda ainda bem que vc não tirou mais fotos de comida pois estou babando,me lembro bem desta festa são bem fartas mesmo, as fotos estão ótimas,o pé de jaca deve ser o clima dai não. sua mãe falou que o pé de pimenta tb não vingou acho que é o clima, eu passei o ano Novo vendo Dorama na Internet,rsrsrsrs. bjs, Saude paz, felicidades, dinheiro quanto baste.

  2. Kelly

    Só em mesa de nikkei tem lasanha com sashimi. Haha! Eem casa a mesa foi bem variada também, tinha ubussá, manju, mochi, harusame, vinagrete, churrasco (com lingüiça de Pereira Barreto, sensacional), entre outras coisas. Q importa é a reunião e a bagunça 🙂 um ótimo 2011 para ti, repleto de realizações!

  3. Marisa Ono

    Kelly, antes eu achava um absurdo. Mas agora, mais velha, vejo que é assim que a gente comemora e não há como mudar. Comida variada e cada um come o que gosta. Só ainda fico escandalizada com o exagero… Sempre sobra.

  4. beth

    Oi, Marisa, Feliz 2011!
    Fiquei encantada, o que é Flora da Marta, o paraiso?Fiquei imaginando o lugar, com todas essas árvores, flores, e esses pratos maravilhosos!!!!Coisa nova p/ mim,o inarizushi/yuzu/miyoga, já vou testar!!!!Grande abraço!

  5. Marisa Ono

    Beth, a Marta é uma boa anfitriã. Agora, o inarizushi com yuzu e miyoga foi arte de um dos convidados, um convidado muito talentoso, aliás. 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *