20 Comments

  1. Célia Tatsuta

    A minha mãe faz fukushinzukê também. O processo é o mesmo, com pequena variação em alguns temperos, e, ela prefere legumes mais durinhos, textura “kari-kari”. Usa principalmente o uri branco, chuchu, cenoura e pepino, podendo entrar inclusive talo de repolho picado e a parte branca da melancia.

  2. Marisa Ono

    Obrigada, Mayumi. É o tipo de receita que, já que dá trabalho, vale a pena fazer uma quantidade maior e estocar, quando se encontra vegetais frescos e em um preço melhor.

  3. AMELIA

    Oi, Marisa, estou me aventurando a fazer o Fukujin-zuke, e como meu marido cobaia adora renkon, é o que mais tem. Qdo vc diz para torcer num saco de pano e prensar novamente, dispensei o saco e coloquei num escorredor de massas com furinhos bem pequenos e estou achando que está escorrendo melhor, pois com o pano a água ficava em contato direto. Comecei ontem à tarde e acho que até à noite termino. Obrigada pelo incentivo ao divulgar a receita, na verdade minha mãe tbém tem a tal da receita, mas ela tem preguiça de fazer!!!!!

  4. Marisa Ono

    Amelia, no caso do renkon não há necessidade de prensar, ele contém tão pouca água. Já pepino, nabo, chuchu precisam perder o excesso de água, que é um problema para conservas. E eu espero que você faça um fukujinzuke com o gosto “da casa”, cada um faz de uma maneira ligeiramente diferente, com ingredientes diferentes…

  5. Amélia

    Não coloquei pepino mas coloquei beringela, daquelas bem fininhas, acho que popularmente conhecida como japonesa, ficou muito bom. E como vc sugeriu pimenta vermelha, substituí por wasabi em pó, mas uma pitadinha só, tbém ficou muito bom. Já o renkon, deixei na salga separadamente e saiu um pouquinho de água, para 1 kg de renkon mais ou menos 100 ml. Meu marido cobaia não teve paciencia para esperar curtir e já avançou, só para “provar”, e ficou orgulhoso de ver que além de fazer muitas coisas, agora também sei fazer fukujin-zuke!!!! Agora preciso aumentar o tamanho da minha cozinha, meus próximos passos serão aprender o mandiu da minha mãe e missô!!!! Bom final de semana!!!!

  6. Marisa Ono

    Que bom, Amélia! Tem muita coisa que é difícil reproduzir em casa. Outras, como o fukujin-zuke, a gente faz, dá o toque pessoal, fica mais com o gosto “da casa”.

  7. Marisa Ono

    Cintia, eu não usaria cachaça por conta do cheiro, que eu não gosto. Poderia usar mirin, mas aviso que existem “preparados tipo mirin” que não contém álcool. São uma mistura de açúcares apenas. Outra opção seria uma colher de sopa de vodka, que não tem cheiro e não iria interferir.

  8. Marisa Ono

    Gondo, fukujinzuke não é uma conserva cozida. O molho da conserva é fervido para eliminar o excesso de água. Os vegetais soltam água por conta do sal presente. Excesso de água prejudica a qualidade da conserva e ela irá estragar rapidamente. Apesar o molho ser jogado quente sobre os vegetais, eles não chegam a cozinhar.

  9. Aquiê

    Marisa, que bom que achei esta receita. Vou tentar fazer usando couve-flor também, pois a minha mãe usava-a. Agora, depois de tudo pronto, armazeno o fukujinzuke num pote de vidro; OK, e o caldo? Nada vai junto no vidro? obgda!

  10. Marisa Ono

    O caldo vai para dentro do pote também. Aliás, é melhor que preencha todo o pote com ele, quanto menos ar contiver, melhor será a conservação.

  11. Marisa Ono

    Que eu saiba, não, por conta do teor de água alto, o risco de estragar é maior. Acelga, repolho são melhores em conservas do tipo kimchee ou asazukes, para serem comidos logo.

  12. Marcelo

    Muito bom Marisa, obrigado por compartilhar seu conhecimento!!!
    Uma pergunta, por favor, posso substituir o açúcar cristal por açúcar mascavo?
    Beijos e obrigado mais uma vez!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *