Bala de Alga e Hibiscus

Conversar com LP sempre é inspirador. Depois de postas as novidades em dia, falamos de comida, sempre. O assunto de ontem foi gelatina de alga, texturas e quantidades. Por fim, veio a questão da bala de alga. Fui para a cozinha, para tentar fazer as tais balinhas com o que eu tinha em casa. A única coisa colorida e ácida disponível era o chá de hibiscus. Não ficou igual às balinhas japonesas, porque, pelo que sei, usam trehalose, um açúcar com menor poder adoçante e algumas outras propriedades. Mas está satisfatório.

350 gramas de açúcar cristal

350 ml de chá de hibiscus (coloque um punhado de hibiscus secos em uma caneca com água e deixe ferver em fogo baixo por uns 3 minutos)

8 gramas de gelatina de algas (kanten, agar-agar)

Misture a gelatina com o açúcar. Acrescente o chá, misture e leve ao fogo, mexendo eventualmente. Deixe ferver por 5 minutos, em fogo baixo. Despeje em uma forma ou molde e deixe esfriar antes de cortar.

Obs: É interessante que o chá seja ácido, porém se o PH for abaixo de 4, a gelatina de algas não solidifica.

Share This Post

8 comentários em “Bala de Alga e Hibiscus”

  1. Marisa, não conseguia acessar seu blog fazia muito tempo- hoje consegui!
    Adoro seus posts, ainda não tentei fazer nenhuma receitinha mas essas das balinhas vou ter que fazer – ditchan sempre trazia um pacote quando vinha me visitar, que saudades!
    Beijos, Cristiane Yumi

  2. Pois é, Yumi, o blog ficou fora do ar por um bom tempo, por conta da minha mudança. Agora, novamente conectada, estou atualizando quase que diariamente.

  3. Que bom, vc. sempre publica receitinhas e dicas que são bem legais! Fora o seu talento para escrever, amo ler suas receitinhas!
    Um grande beijo, Yumi

  4. Adorei a idéia. Parece meu casamento, juntou japas e árabes. Sempre tomei o chá de karkadê (hibiscus) como refresco. Vou fazer, pois meu filho está me cobrando a “gelatina japonesa” desde uma degustação de culinária japonesa numa faculdade da Liberdade.
    Parabéns!
    Beijocas,
    Ka

  5. Sabe, Ka, que eu não pensei no lado fusion da coisa? Quando escolhi o hibiscus, estava pensando em algo ácido (que influencia na consistência, assunto que discuti com LP). Agora, pensando um pouco, vejo que além de misturar coisas de culturas diferentes (pelo que sei, no México também consomem muito refresco de hibiscus), agregei umas propriedades terapêuticas. O hibiscus é diurético e parece que contém antioxidantes. Já o kanten não é absorvido pelo organismo e acaba tendo uma função laxante… Se não fosse pelo açúcar, seria ótimo para uma dieta, não?
    Beijos.

  6. Eliana, uma coisa que tenho visto com frequência é queixa ao trabalhar com gelatina de alga. Pelo que sei, existe gelatina de alga pura, gelatina de alga misturada com açúcar, amido. No Japão, se não me falha a memória, eram pelo menos 6 produtos, cada um utilizado em uma preparação diferente (sorvetes, mousses, massas, por exemplo). Como muitas vezes vejo gelatina de alga embalada sem maiores especificações, fico pensando se não estão vendendo compostos como gelatina de alga pura, refinada. Digo porque eu mesma cometi esse erro e comprei um que continha amido. Precisei fazer alterações e aumentar a quantidade de gelatina em um preparado.
    Adicionar gotas de limão não vai ajudar, é preciso aumentar a quantidade de gelatina e ferver por 2 a 3 minutos, pelo menos. Ao contrário da gelatina comum, a gelatina de alga não solidifica sem a fervura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *