Cavalinha com Molho de Umeboshi

Quem me acompanha no Facebook sabe que esta semana eu iria fazer um prato com um peixe barato. A cavalinha anda barata – já encontrei a R$3,50/kg, fresca – e é um peixe que muita gente não gosta, por conta do cheiro forte e da gordura. Marinando, o cheiro característico fica suavizado. Ele é grelhado em sua própria gordura e envolto em um molho ácido, que combina bem com peixes gordos. Se não gosta mesmo de cavalinha, acho que deva funcionar bem com o xixarro (carapau), às vêzes oferecido como aji ou, para quem está longe do mar, a tilápia ou outro peixe de carne mais firme.

Outro ponto positivo dessa receita é que vai pouquíssimos ingredientes. E, por fim, não suja panela alguma.

2 cavalinhas abertas em filés

Para a marinada:

2 colheres de sopa de shoyu

2 colheres de sopa de sake (se não encontrar, use um vinho branco que não seja muito ácido)

1 colher de sopa de açúcar

1 colher de chá (rasa) de pasta de umeboshi (esprema uns 2 umeboshis, descarte a semente e a pele, só aproveite a polpa)

Para o molho:

1 colher de chá de pasta de umeboshi

1 colher de sopa de shoyu

2 colheres de chá de mel (prefira um que não seja tão perfumado, evite mel de eucalipto, por exemplo)

2 colheres de sopa de sake

Para quem ainda não conhece o umeboshi: é uma conserva salgada feita com um fruto bem ácido, muito comum no Japão. Hoje em dia é encontrado com mais facilidade em lojas e mercearias de produtos orientais. No caso, uso o tipo mais macio. Existe um que é durinho, crocante. Esse da foto foi feito em casa, já tem alguns anos. Não estraga, mesmo fora da geladeira, por conta do sal e da acidez.

Misture todos os ingredientes da marinada. Adicione os filés de cavalinha e deixe tomar gosto por pelo menos 15 minutos, mas não mais que 1 hora.

Escorra e enxugue com papel toalha. Polvilhe com um pouco de farinha de trigo, dos dois lados de cada filé. Uma peneira pequena funciona bem para isso.

Em uma frigideira grande o suficiente para acomodar todos os filés, coloque uma folha de papel impermeável. No caso, usei uma que encontrei em uma loja de produtos coreanos no Bom Retiro, há algum tempo. No entanto, se não encontrar desse papel, procure em uma boa papelaria por papel sulfurize ou sulfurizê. Há muitos anos era usado em rascunhos para projetos arquitetônicos. Parece com papel vegetal, mas é menos encorpado, embora seja bastante resistente. Antes eu só encontrava no tamanho A1 (59.4 x 84.1cm), talvez hoje existam em outros tamanhos. A técnica de grelhar sobre papel tem algumas vantagens: o peixe ganha uma cor bonita, coisa que nem sempre acontece com o teflon; não gruda e, por fim, não suja a frigideira.

Deixe a frigideira aquecer e acomode os filés com a pele para baixo. Mantenha em fogo alto até dourar. Vire para dourar do outro lado.

Para o molho que vai envolver as cavalinhas, basta misturar tudo em uma tigela pequena ou xícara.

Despeje sobre o peixe, vire cada filé para ficar bem envolto e desligue o fogo. É muito rápido, talvez pouco mais de um minuto.

Não vai ficar muito molho, a maior parte vai ser absorvida pelo peixe. Sirva acompanhado de arroz branco.

 

 

 

 

Share This Post

6 comentários em “Cavalinha com Molho de Umeboshi”

  1. Marisa eu cosumo muito peixe todas as semana tenho comprado na feira cavalinha bem frescas, eu apesar de conumir o peixe nao sei fazer muita coisa diferente e amei a sua receita. acavala eu faço sempre frita com farinha de milho.

  2. Pois é, Diulza, resolvi fazer cavala porque anda bonita e barata. Essa receita é fácil, o molho é azedo e um pouco adocicado e não dá muito trabalho.

  3. Sabe que no bentoya saía muito oniguiri de umeboshi? Uma quantidade enorme. A pasta já vinha pronta, em um saco de confeiteiro lacrado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *