Yakidofu e Atsu-ague

Outro dia o Shussumu encontrou-me no Ceagesp. Conversa vai, conversa vem, ele perguntou do yakidofu. Oras, pensei, algo tão simples! Mas nada nessa vida é tão óbvio. Afinal, não vejo para comprar. Parece que muita gente não conhece. Aproveitando que minha mãe havia feito uma quantidade extra de tofu, resolvi fazer hoje. Leva um pouco de tempo, mas não diria que é trabalhoso.

E o que é yakidofu, afinal? É tofu assado. Ele fica firme, com uns pontinhos tostados e não se desmancha quando é colocado para cozinhar com outros ingredientes. Fica mais ou menos com a consistência de um queijo de coalho.

Para fazer o yakidofu, vai precisar de tofu do tipo firme. Corte em fatias grossas, cerca de 2,5 a 3 cm de espessura. Coloque em uma assadeira forrada com papel absorvente ou panos limpos. Cubra com mais papel ou pano, coloque por cima outra assadeira que encaixe e sobre essa, um pêso. Eu usei 3 sacos de 1 kg de farinha. Deixe por 4 a 5 horas. O tofu vai diminuir um pouco e ficar bem mais firme.

Feito isso, é só levar a uma grelha, virando até dourar e ganhar uns pontos mais escuros. Fica melhor se for grelhado no carvão, ganha um cheiro de defumado, mas estava sem ânimo para acender a churrasqueira portátil. Fiz na grelha, na boca do fogão mesmo.

Depois foram cortados em cubos grandes e entraram num cozido parecido com o sukiyaki. Verduras, um pouco de carne para dar gosto ao caldo, muita cebolinha em toletes, shoyu, sake e um pouco de açúcar. O tofu é leve, mas sacia.

Não recomendo congelar, o tofu pode ganhar uma textura esponjosa.

Ou, se preferir, faça atsu-ague, ou seja, tofu cortado grosso e frito. Basta fritar em bastante óleo e bem quente. Não frite demais, retire assim que dourar e a quantidade de bolhas diminuir.

Pode comer assim mesmo, quente, só com sal ou com um molho. Eu gosto de comer com uma mistura de nabo ralado e shoyu, simples assim. Mas também pode ser usado em cozidos. A fritura faz com que o tofu ganhe um gostinho de tostado muito bom, mas ele continua úmido por dentro e sem bolhas, diferente do ague utilizado nos inari-zushi (os sushis “de saquinho”).

 

 

Share This Post

6 comentários em “Yakidofu e Atsu-ague”

  1. Marisa que delicia, as vezes acho tofu sem graça mais é não saber muito o que fazer ele acaba se perdendo, amei duas opções muito boa.

  2. Diulza, prensado ele fica bem firme. Já vi pegarem esse tofu, colarem um pedaço de algo nori (aquele do sushi) e empanar à milanesa. O nori dá um gosto de algo do mar, ficou bem bom.

  3. Adoro cozinhar e, vira e meche aqui no trabalho, dou uma espiada aqui no seu blog para ver novidades. A verdade é que, apesar de ser descendente de japoneses, na culinária oriental eu quase não me arrisco. A minha mãe, por outro lado, faz sushis e tofus para vender, já que na cidade dela é pequena e não há lugares para vender essas coisas.
    Você comentou do inarizushi. Eu adoro! Minha mãe diz que dá muito trabalho, que demora muito tempo para fritar. Quem sabe agora nas férias, desço para casa de minha mãe para fazer um pouco de inari-zushi.
    Delicia!

  4. Ah, eu nunca acertei 100% o abura-ague, Alan. Não estufa o suficiente, fica duro demais. Na NHK mostrou uma fábrica, fritam em 2 fritadeiras com temperaturas diferentes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *