Bolo de Sardinha ou Iwashi Scotch Egg

Há pouco tempo o bolo de ovo, bolovo, B.O era coisa que só existia em botecos, daqueles que o pessoal chama de “sujinhos”. Pois não é que agora estão por aí, chamados de “scotch eggs”. Comida é como onda, vai e volta.

Confesso que resisti muito. Esses bolos de sardinha assombraram minha infância, por vários motivos. O primeiro é que minha mãe, durante uma época, fez e muito, até a exaustão. Enjoei. O segundo motivo é que não gostava do sabor, ou melhor, do cheiro forte de sardinha. O terceiro era a textura, era meio farelenta. Bem, hoje eu sei de umas coisas que minha mãe não sabia. E tenho um processador de alimentos, coisa que não existia naquela época. O bolo de sardinha que fiz tem uma textura mais macia e não tem o cheiro forte.

Fiz grande, com ovo de galinha, para ser fiel à receita. Mas ficaria mais fácil de enrolar, empanar e fritar (além de mais bonito) se fosse feito com ovos de codorna cozidos.

Achava que era uma receita nikkei. Agora não tenho certeza. Lá no Japão também existe algo parecido.

250 gramas de sardinha limpa, sem espinhas

3 colheres de sake

1 colher de chá de sal

2 colher de sopa de missô

1 colher de chá de suco de gengibre (rale um pedaço de gengibre e esprema)

2 colheres de chá de polvilho doce

Pimenta do reino à gosto

4 ovos cozidos, frios e descascados

Farinha de trigo, ovo e farinha de rosca (panko) para empanar.

Antes de mais nada, é preciso limpar a sardinha. Depois de tiradas as escamas, eviscerada e tirada a cabeça, coloque-as em uma tigela com água e sal. Não use sal demais, a água deve ficar salgada mas não tanto quando a água do mar. Abra as sardinhas e lave nessa água. Escorra.

Leve os filés para a geladeira por umas 4 horas, pelo menos, ou até ficarem bem geladas. Isso é importante para fazer a massa.

Coloque as sardinhas, o sake, o sal, misso, polvilho e suco de gengibre em um processador de alimentos e bata, até formar uma massa pegajosa. Vai quase formar uma bola de massa dentro do jarro do processador. Se a sardinha não estiver bem gelada, é possível que não forme o “surimi” (ou seja, massa de peixe).

Envolva cada ovo com uma porção dessa massa. Modele com as mãos molhadas, fica mais fácil. Passe por farinha, ovo e farinha de rosca. Faça isso com cuidado, a massa é mole. Deixe descansar por cerca de meia hora, fica mais fácil de fritar.

Frite em baste óleo, até dourar bem. Se começar a dourar rápido demais, abaixe o fogo, porque pode ficar cru por dentro.

Parta ao meio e sirva.

PS: A massa de peixe fica com aparência melhor se tirar a pele. Minha mãe não tirava. E creio que agora não é época de sardinhas. Usei sardinhas congeladas e nesse caso, é bem difícil tirar a pele delas.

Insisto no uso de sake, ele ameniza bastante o cheiro do peixe.

 

 

Share This Post
Esta entrada foi publicada em Culinária japonesa, Prato principal com as tags , , , , . ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *