Chicago Pan Pizza

Eu gosto dessa pizza. E antes de começar a levar pedrada dos italianos e descendentes, mais os pizzaiolos de todo Brasil, já vou avisando que não concordo com o “pizza”. Poderia ser “torta de pão” ou coisa do gênero. Trata-se de uma massa fermentada assada em uma forma, com bordas altas e muito recheio. O truque para ficar com uma casquinha crocante e bem assada por baixo sem ressecar a cobertura é usar uma panela ou frigideira de ferro. Ela é aquecida na boca do fogão, é bem untada e recebe a massa. Só depois é que vai para o forno. Ou seja, a assadeira já está quente e assa por igual. E quer saber de outra coisa boa? Essa “pizza” requenta muito bem. É só colocar em uma frigideira de fundo grosso, tampar e levar ao fogo bem baixo.

3 xícaras de farinha de trigo

1/2 sachê (5 gramas) de fermento biológico seco instantâneo

1 colher de chá de sal

1 colher de chá de açúcar

Água morna o quanto baste

1/2 xícara de azeite ou óleo

Misture a farinha, o açúcar, o sal e o fermento. Vá acrescentando a água e sovando. Lembre-se que a massa, para ficar macia, deve ser também macia. Ou seja, a massa será um tanto quanto pegajosa. Trabalhe por cerca de cinco minutos, não é preciso sovar com tanta paixão. Acrescente o azeite ou óleo e sove mais um pouco. Cubra e deixe fermentar.

Abaixe a massa com o punho fechado. Divida a massa em duas porções. Aqueça o forno até ficar bem quente. Quando estiver com o forno quente, leve ao fogo uma frigideira ou panela de ferro (eu usei minha panela de sukiyaki, que tem alças também de metal). A frigideira ou panela tem que estar quente mas não a ponto de soltar fumaça. Unte bem com azeite ou óleo e abaixe o fogo para o mínimo.

Abra a massa com as mãos ou com a ajuda de um rolo. Coloque na frigideira e com as pontas dos dedos estique e forme a borda. Não precisa correr, não. Coloque o recheio. No caso, usei presunto, queijo e tomate picado em uma e linguiça com cebola, molho de tomate, tomate e queijo. Mas fica também muito bom com berinjelas refogadas com alho, linguiça com cebolas, enfim, coloque o que gostar.

Leve ao forno. Tenha certeza de que a grade do seu forno aguenta todo esse peso. Asse em temperatura alta até que as bordas dourem. Confira se a parte de baixo também está dourada. Para tirar da frigideira usei duas espátulas.

E gostaria de agradecer aos generosos doadores do blog. Graças a eles comprei uma câmera nova, um pouco melhor da que eu tinha. A primeira foto foi tirada com essa câmera (Canon  SX150-is, se querem saber) e a segunda, com a compacta. Dá para notar a nitidez, não? Ela é bem melhor para fotografar com pouca luz.

 

Share This Post

8 comentários em “Chicago Pan Pizza”

  1. Sabe, Nelson, eu morro de vergonha de me ver em video. Para publicar, obviamente, eu teria que editar. E me ver. Gaaaah!. Bem, um psicólogo me disse que eu deveria encarar isso de frente porque negar a própria imagem é bla-bla-bla. Estou pensando no assunto.

  2. Olá Marisa

    Sou descendente de Calabres com Toscano e recomendo essa massa é
    prática,rápida e gostosa.
    Tenho acrescentado às PIZZAS que levam queijo, depois que retiro
    do forno finas laminas de alho negro, o sabor fica como o blog DELÍCIA.

    Abraço
    Edson Shopping da Roça

  3. Marisa, não resisto a fazer um comentário também correndo risco de levar pedradas: algumas das piores pizzas que já comi foram na Itália. Na verdade foi uma decepção enorme comer pizza por lá e com muito custo achamos finalmente alguns lugares onde comemos o que esperávamos que fosse uma pizza autêntica. Como em tudo mais, tem muito estrangeiro que entende muito mais de pizza do que muito italiano. Na verdade não há motivo para pedradas! É tudo uma questão de gosto e de nível de exigência, não é?

  4. Ehehehe, Gilda, já ouvi até italiano dizer que as pizzas daqui eram melhores. Mas gosto é gosto, também tem o hábito. No Japão eu vi cada cobertura que me dava arrepios (batata com curry, queijo com alga nori).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *