A Polêmica do Queijo Furadinho

Que nem é nova. Volta e meia aparece nas redes sociais uma notícia sobre o fato do queijo minas “furadinho” ser cheio de coliformes fecais.

Bem, vamos começar pelo começo. O que são coliformes fecais? São bactérias que existem nos intestinos de animais. Não só de humanos, como muitos pensam. A quantidade deles é utilizada como parâmetro de higiene. Por exemplo, água que contém coliformes fecais não é considerada segura para beber, porque foi contaminada com esgoto e pode também conter parasitas.

No entanto, coliformes fecais podem ser encontrados em quase tudo. Pesquisas indicam a presença de coliformes fecais no dinheiro, no seu celular, no seu sapato e também na água da piscina. E também na sua mão, que pegou em tudo isso. Por isso é importante lavar as mãos com frequência (não, o álcool gel não substitui a água com sabão).

E nos alimentos, como a contaminação ocorre? Bem, vegetais são contaminados ainda na horta, entrando em contato com esterco (e nessa, os orgânicos estão mais sujeitos à contaminação). Também há a possibilidade de contaminação na sua cozinha, quando você usa a tábua para cortar carne e a usa em seguida para picar vegetais, sem higieniza-la. Sua geladeira provavelmente está contaminada porque nela você guarda verduras, ovos, etc. Carne é contaminada já na hora do abate. Mas não há motivos para pânico. Nem toda bactéria do grupo dos coliformes provoca doença. Mantenha bons hábitos de higiene e deixe o resto por conta do seu sistema imunológico.

Bem, então podemos falar do queijo. O problema é que leite, a não ser que seja pasteurizado, vai conter coliformes fecais. Mesmo que a ordenha seja feita de maneira correta, mecanizada, etc. É que leite sai da vaca morno, contém açúcar (coisa que muitas bactérias adoram comer) e os coliformes fecais se reproduzem muito rápido. Um indivíduo pode se multiplicar, dependendo da temperatura, e atingir a população de 12 bilhões em 24 horas. Em muitos laticínios o leite entra cru e acaba contaminando a massa do queijo. Claro que a contaminação também pode se dar por falta de higiene.

No caso do queijo “furadinho”, coliformes fecais produzem gases que provocam o estufamento precoce do queijo. É visto como um defeito, que se deve ao fato do fermento não ser ativo e eficiente o suficiente, salga tardia e outros fatores. Pode ser lido com maiores detalhes aqui:
https://cienciadoleite.com.br/noticia/2781/o-estufamento-precoce-nos-queijos

E, por fim, a legislação permite um certo número de coliformes fecais em alimentos (queijos inclusive), contanto que não apresentem organismos que provoquem doenças como a salmonela, por exemplo.
http://portal.anvisa.gov.br/resultado-de-busca?p_p_id=101&p_p_lifecycle=0&p_p_state=maximized&p_p_mode=view&p_p_col_id=column-1&p_p_col_count=1&_101_struts_action=%2Fasset_publisher%2Fview_content&_101_assetEntryId=2855866&_101_type=document

Concluindo: o queijo “furadinho” é “sujo”? Sim. Como quase tudo o que você põe na boca. Os furinhos são considerados um defeito no queijo e não qualidade. Mas nisso tudo, me incomoda ver gente gritando por causa do queijo furadinho e querendo beber leite cru ou comer algo que colheu na calçada, ali, do ladinho do bueiro (se você sentiu cheiro de fezes, é porque respirou fezes, por conta do efeito spray).

Share This Post

4 comentários em “A Polêmica do Queijo Furadinho”

  1. Muito bem ponderado, Marisa. Eu mesmo já tentei inúmeras vezes explicar aos próximos que existem níveis de contaminação aceitáveis, que vegetais orgânicos também são “sujos”, que nosso celular pode ser pior que a borda do vaso do banheiro, que no chá tem pedacinhos de insetos e tá tudo bem… Mas é uma tarefa árdua convencer a pessoas dessas coisas. Se dependesse de alguns o mundo já teria sido todo esterilizado… Em vão, como bem sabemos.

  2. Pois é, Alex, o pessoal está embarcando nessa onda higienista e adotando medidas bem estúpidas. Por outro lado, chegam com ideias de que o que é “natural” é seguro e querem beber leite não-pasteurizado, verdura colhida na calçada e por aí vai. Queria que ao menos se decidissem, defender os dois não dá.

  3. Se eu como o queijo furadinho? Já comi. Não gostei da textura, borrachuda. É meio ácido, coisa que não espero de um queijo fresco ou pouco curado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *