Creative Commons License
Blog Delicia by Marisa Ono
is licensed under a Creative Commons.

Imagem cedida pelo Studio Oz

Alho Negro na Bombay

Pinterest Master

  Pinterest

Doe Com Um Clique

Imprimir Imprimir

Kare

Kare

Só hoje me dei conta que ainda não publiquei nenhuma receita de kare. Os primeiros currys datam de 1872. Era quase uma sopa, de cor amarela. O tempo passou e o curry virou kare, mais espesso, escuro, adocicado, que pouco lembra o curry indiano. A paixão do japonês pelo curry é tão grande que existe até um museu, em Yokohama, o Curry Museum. É um dos pratos mais populares do país e estima-se que o japonês coma-o uma vez por semana, ao menos. Não é um prato bonito. Existem inúmeras receitas, que vão do kare suave ao insuportavelmente forte. Esta aqui é só mais uma, entre tantas.

Receita para 2 a 3 pessoas

120 gramas de carne bovina cortada em tirinhas ou cubinhos

2 cebolas médias picadas ou fatiadas finamente

2 colheres de sopa de manteiga

2 dentes de alho

1 colher de chá de gengibre ralado

1 talo de salsão fatiado finamente

1 pitada de tomilho

1 colher de sopa de purê de tomate

1 colher de sopa de shoyu

2 colheres de sake

1/2 cenoura média, picada em cubos pequenos

1 batata média, picada em cubos um pouco maiores

2 colheres de sopade farinha de trigo

2 colheres de sopa de curry em pó (a quantidade varia de marca para marca; a que usei, da Sun, é muito suave)

Leve as cebolas e 1 colher de sopa de manteiga ao fogo. Deixe que refoguem lentamente, até ganhar uma cor amarronzada. Mexa e tome cuidado para não queimar e amargar. Retire da panela. Acrescente um pouco de óleo e refogue a carne, até dourar bem. Junte o alho, o gengibre, o tomilho e o salsão e refogue, sem queimar. Junte água até cobrir e cozinhe até amaciar a carne.

Junte as cenouras. Deixe ferver. Adicione o sake e as batatas (o sake ajuda a impedir que as batatas se desfaçam). Adicione as cebolas e o purê de tomate. Deixe cozinhar em fogo brando.

Enquanto isso, derreta a segunda colher de manteiga em uma frigideira anti-aderente. Junte as duas colheres de farinha e misture, até dourar ligeiramente. Junte o curry e mexa. Retire do fogo.

Kare Roux

Quando as batatas estiverem cozidas, junte a mistura de farinha aos poucos, mexendo. Espere engrossar e, se necessário, vá juntando mais, até formar um molho espesso. A quantidade vai variar conforme o volume de água.

Junte o shoyu, deixe ferver por uns instantes e sirva

Obs: Eu costumo variar e acrescentar 1 folha de louro e/ou: anis estrelado, fennel grego, canela, pimenta vermelha, coentro em pó, cominho em pó, cardamomo e até maçã ralada.

Também costumo acrescentar ervilhas verdes ou vagem ou grãos de soja verde. Posso substituir a carne de boi por frango ou porco, aumentar a quantidade deste (se quero um kare mais rico) ou até mesmo fazer uma versão vegetariana. Acompanha arroz, salada e alguns gostam de come-lo com picles de cebolinha branca, uma colherada de iogurte e pimenta à parte.

Share This Post

34 comments to Kare

  • A cor, o aroma já me conquistaram, agora vou providenciar os ingredientes para experimentar.
    Bjs!

  • Panacota

    Tem ali um franguinho em tirinhas que vai dormir na geladeira acompanhado de limão, dois dentes de alho espremidos, sal e pimenta do reino. Amanhã ele vai virar carê.

  • admin

    No quesito aparência, kare é um dos pratos mais feios do planeta, empatando com a nossa feijoada. Impossível tirar uma foto bonita, com esse festival de tons terrosos. Mas para quem gosta de comida apimentada e rica em especiarias, é prato (literalmente) cheio.

  • Panacota

    Ficou óóóóóóóóóótimo. A-do-rei ter feito essa receita. Muito obrigada, minha ex-trusorinha. Botei só uma colher de sopa cheia de curry para 900gr de filé de peito de frango em tirinhas. No mais, dobrei os ingredientes. Só não botei o salsão porque, junto com o coentro e o aniz, é uma das coisas que mais odeeeio nessa existência. Recebeu a foto que mandei?

  • admin

    Recebi, sim, Panacota. Só que o g-mail não conseguiu responder. Eu estou superando o coentro, já suporto em quantidades homeopáticas, assim como o aniz. Pode parecer estranho, mas kare, para mim, é comfort food…
    =)

  • Juli

    Oi, Marisa!!!
    Confesso q qdo recebi o teu rss sobre Karê, não dei mta bola, pq vivo fazendo-o em casa.
    Maaaaaaas, hj fuçando o blog preocupada com o jantar, resolvi dar uma lida.
    Meu Deus! Tô até com vergonha de chamar “aquilo” q eu cozinho q karê … rs
    Aliás, dias atrás, eu descobri como REALMENTE se faz um missoshiru.
    Infelizmente minhas avós morreram mto cedo e a minha mãe faz aquela comida japonesa adaptada … rs óbvio q td q sei sobre o assunto vinha da minha mãe.
    VINHA. Ufa! Agora tenho vc, a minha sogra e a sogra da minha sogra … rs
    Um dia te conto sobre ela. Dá uma looooonga história.

    Muito obrigada por compatilhar essas DELÍCIAS com a gnt!!
    beijo gde,

    Juli

  • admin

    Juli, eu morro de medo de postar receitas familiares, como o kare. Cada um tem sua receita e nunca vai ficar com o jeito da mãe, avó, tia… Um campo minado de descontentamento e decepção. Mas, enfim, não podia deixar de falar desse prato tão popular. Só faltou comentar que existe preparados prontos – em barras ou farelo. Não tenho nada contra eles, alguns são bons e poupam uma parte do trabalho. Mas acho que isso fica para outro post… =D
    Conte-me a história dela, sim, agora fiquei curiosa!

  • No inverno é um dos pratos preferidos!!! hum!
    bjo

  • admin

    No Japão, por estranho que possa parecer, é considerado um prato de verão. Bem, uns afirmam que no verão sentem menos apetite e o kare é um prato, digamos, estimulante. Outros dizem que, por ser apimentado, produz uma sensação de frescor…

  • [...] seja, para fazer um kare, faço um ensopado como descrito aqui, mas não acrescento sal, nem preparo o roux com farinha e curry. Simples e fácil. E, embora eu [...]

  • [...] também é rápida. Existem muitos restaurantes de comida fast-food no Japão: casas de curry (kare), gyudon, udon, lamen e até sushi. Sem falar em casas de espetinhos (yakitori), além das [...]

  • alexandre

    o sakê é realmente nescessario?se puder me mandar um email respondendo eu agradeço!

  • admin

    Como disse, o sake vai manter a batata inteira. Mas, se for muito difícil encontrar sake na sua cidade, um pouco de vinho branco seco seria uma substituição razoável. Não, não precisa ser um vinho caro.

  • Oi, voltei… acho que vou voltar sempre!
    Aqui em casa gostamos de acompanhar com fukujin-zuke também.
    Vou abrir um tablete S&B amanhã. Não conhecia essa dica do sake para manter a batata inteira, serve mirin?

  • admin

    Serve, só que mirim é adocicado.
    Quanto a acompanhamento, podem me apedrejar, mas tem dias que gosto com um ovo estrelado em cima…

  • Obrigada, Marisa! Acabei usando mirin mesmo, porque é só o que tenho por aqui. As batatas ficaram deliciosas, cozidas e inteiras no ensopado.
    Bem, uma vez eu horrorizei umas pessoas quando contei como comíamos kare em casa, quando eu era menor. Com ovo cru! Particularmente, acho que a diferença está só nos nutrientes, porque o gosto do ovo acaba sumindo. Ovo estrelado parece mais gostoso, vou tentar amanhã (fiz um panelão para vários dias).

  • admin

    Eu gosto de ovo cru (contanto que bem fresco) no sukiyaki ou no gyudon. E é um hábito recente, coisa de uns 5 anos para cá. Quando criança eu gostava mesmo era de ovos quentes (cozidos por 3 minutos, com as claras cremosas e a gema crua).

  • [...] reina absoluto, por lá usa-se maionese e ketchup em muitos pratos do dia-a-dia. A maionese vai no kare-raisu (curry com arroz), é misturada ao wasabi, mostarda ou outros ingredientes, transformando-se em um [...]

  • Essa receita de karê é um espetáculo.
    Só sei fazer aquela do tabletão.
    Visitei esse museu do curry em Isezaki-cho. Pena que fechou, creio que há dois anos atrás.
    Bem interessante, com muitos tipos de curry para experimentar. Tinha até uma reprodução do porto de Yokohama quando chegou a primeira remessa de curry.

  • Marisa Ono

    Outro dia soube que o kare está presente nas refeições escolares de todas as escolas japonesas. Isso é que é popularidade. Por aqui, prometem uma filial da Go-go Curry (que eu nunca provei, apesar de ter passado em frente de várias lojas, quando morava no Japão).

  • Então Marisa. Meu sobrinho tem aulas de culinária na escola primária. E ele aprendeu a fazer karê. Receberam uma faquinha plástica(mas até que corta direitinho) e ele agora sabe fazer curry (de tabletes). Uma vez a cada quinze dias servem curry no almoço. E de lanche uma vez por semana o karê pan.
    Esse Go-Go Curry até que dá pro gasto, mas eu prefiro o Curry do Shubakamana, muito bom.

  • Ricardo Takao Oikawa

    Olá Marisa! Que saudades! Após cancelar meu Orkut, recentemente resolvi voltar, mas infelizmente não te achei na Comunidade Chefs do Brasil. Você saiu? Então, lembrei que você tinha um blog. Bacana! Aprendi bastante com suas dicas. Já adicionei sua página aos Meus Favoritos. Abraço! Takao

  • Ricardo Takao Oikawa

    A propósito, partindo da sua receita de curry, fiz algumas modificações e consegui chegar bem próximo ao sabor do curry que costumava comer no Japão. E a receita faz um enorme sucesso. Aqui em casa ninguém mais quer saber de Curry da House ou S&B. Obrigado!

  • Marisa Ono

    Oi, Ricardo. Eu saí de quase todas as comunidades do Orkut.

  • Fabricio Silva

    Oi Marisa. Desculpe estar revivendo a postagem, mas não poderia deixar de agradecer pela bela receita!
    Estou fazendo ela no momento. Eu já havia saboreado este prato na casa de um amigo, e como acabei gostando (sou amante da culinária japonesa) resolvi me adentrar nesse caminho!! rsrs
    Enfim, como eu comprei o Curry em tablete fiquei meio perdido pois não sabia qual a quantidade pra ser colocada!
    Mais uma vez, agradeço pela bela receita!!!
    Bjus.

  • Marisa Ono

    E ficou bom, Fabricio?

  • Desculpe a demora Marisa! Ficou ótimo!
    Coloquei meio tablete e ficou do ponto! Gostaria de saber quais legumes eu poderia usar pra deixar o prato mais saboroso! Alguma verdura pode ser adicionada? Bjus!!!

  • Marisa Ono

    Fabricio, eu costumo colocar cebola, batata e cenoura. Dependendo do dia e do que tem na geladeira, vai também vagens e cogumelos. Também posso fazer uma versão vegetariana, bem simples, no verão, usando berinjela e abobrinha douradas na frigideira. Nesse caso, os vegetais vão para panela no final, junto com uns tomates cortados.

  • Hummmm. Deve ficar uma delícia! Obrigado pelas dicas Marisa!
    E mais uma vez, parabéns pelo seu trabalho!!!

  • keila cristina da costa

    adore a receita care raisu dai suki sou brasileira e fiquei 5 anos no japao amo todas as comidas japonesas principalmente o care, e amo o japao do fundo do meu coraçao,adoro os japoneses prinsipalmente os velhinhos com quem eu tinha muinta amizade… é o pais do meu coraçao pena q nao posso mais ir pra la.bjs keila sayonara…

  • Viviane Kubo

    Olá! Adorei seu site.
    Meu tio que acaba de voltar do Japão estava comentando comgio que eles usam mel. MAs ele não sabe cozinhar e não soube me explicar… Vc sabe algo sobre isso? A receita da minha família é muito similar a sua! :) ))

  • Marisa Ono

    Viviane, lá no Japão eles acrescentam sabores à gosto. Conheço kare com mel, maçã ralada, molho de tomate, etc. Use o quanto gostar.

  • Ricardo Takao Oikawa

    Grande Marisa Ono!

    Após um longo tempo, é uma satisfação saber que seu blog está firme e forte. Acabei de fazer uma pequena contribuição em agradecimento aos seus ensinamentos. Prometo que, quando puder, farei uma contribuição mais gorda.

    Depois que li sua receita de kare caseiro, nunca mais comprei tablete S&B e todos que experimentam sua receita (com algumas modificações) ficam admirados. Obrigado mesmo!

    Se um dia quiser fazer a versão em inglês de seu blog, pode contar comigo. Trabalhei com cathering em Londres e tenho bom vocabulário sobre o assunto.

    Grande abraço!

  • Marisa Ono

    Pois é, Ricardo, o blog está caminhando para o sexto ano e com cerca de 600 receitas publicadas. De vez em quando dou uma olhadas em umas estatísticas e descubro gente me lendo em lugares remotos do mundo (Ucrânia, dá para imaginar?). O mais surpreendente é receber e-mails de japoneses que moram no Brasil! Alguns encontram dificuldades em obter ingredientes ou até mesmo saber o nome que dão aqui para uns vegetais.
    Kare é um prato tão familiar, não? Cada um pode dar um toque pessoal, combinar à vontade. Eu estou ensaiando para fazer um kare com frutos do mar, ainda não é muito comum por aqui. Talvez, aproveitando essa Quaresma…
    E obrigada pela contribuição. Acho que é a segunda deste ano, creia, de tantos leitores, quase ninguém se lembra que eu tenho custos e que não recebo por publicidade…

Leave a Reply

  

  

  

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>