Ebi Gyoza

Ebi Gyoza

Esse dim-sum de camarão costuma ser chamado de Ebi Gyoza ou Ebi Mushi Gyoza. Diferente do gyoza mais comum por lá, é feito com uma massa de amido de trigo, que fica transparente e de consistência um pouco pegajosa, parecida com o do mochi (massa de arroz glutinoso). É cozido no vapor e servido quente. Pelo que pesquisei, no país de origem é chamado de Har Gao.

A receita eu adaptei de outra, da autora de livros culinários Wen Wu.

Massa:

100 gramas de amido de trigo (encontrado em lojas de produtos orientais; no Japão é chamado de Uki-ko  – 浮き粉)

40 gramas de polvilho doce

200 ml de água fervente

Sal

Recheio:

250 gramas de camarão limpo e descascado

1 pedaço pequeno de gengibre ralado

1 colher de sopa de sake

1 colher de sopa de polvilho, amido de milho ou fécula de batata

Sal, pimenta do reino

Para a massa:

Ebi Gyoza- Massa

Misture os dois amidos e o sal em uma tigela. Despeja água fervente e misture vigorosamente. Quando amornar o suficiente, sove. Se necessário, polvilhe mais um pouco de amido de trigo, para que ela não seja pegajosa demais. Forme uma bola e deixe descansar por 15 minutos ou mais.

Enquanto isso, faça o recheio:

Triture tudo em um multiprocessador, até formar uma pasta homogênea. É importante que esteja gelada, para ter uma boa textura e não correr o risco de estragar. Deixe na geladeira até a hora de usar.

Divida a massa em 24 porções. Abra cada uma com um rolo, em um disco de mais ou menos 8 cm. Não abra a massa fina demais, ela é delicada e difícil de trabalhar, podendo abrir buracos com facilidade. Polvilhe com polvilho sempre que necessário.

Ebi Gyoza - Modelado

Recheie com um colher de chá bem cheia de massa. Dobre, faça as pregas e enfileire em uma bandeja.

Ebi Gyoza - Cozinhando

Para cozinhar, leve ao fogo uma panela de cozimento no vapor com água, na parte de baixo. Na parte de cima usei um guardanapo de pano molhado para forrar a peneira e evitar que os bolinhos grudassem no fundo. Quando a água estiver fervendo, acomode os gyozas sem encostar um no outro e tampe. Cozinhe em fogo alto por mais ou menos 6 minutos. Eles ficarão transparentes, exibindo o recheio rosado. Retire a parte de cima da panela, destampe e espere uns 30 segundos. Os gyozas ficam mais fáceis de manusear e destacar do guardanapo quando esfriam um pouco.

Gostei do resultado, mas da próxima vez experimentarei misturar camarões picados e ou broto de bambu. Acho que ficaria mais gostoso com um pouco de cebolinha (só a parte branca, bem picada) no recheio.

Comi com umas gotas de molho de soja.

PS: Sim, eu ainda preciso aprimorar ainda mais o método de modelar os gyozas.

Share This Post

23 comentários em “Ebi Gyoza”

  1. Nossa!!! Seu blog é incrível! Já experimentei várias receitas dele^^ Descobrimos por conta do meronpan e você está de parabéns! Acho que estes serão os próximos. Obrigada!

  2. heheh me empolguei e esqueci uma pergunta… moro em Curitiba, vou procurar o amido de trigo por cá, mas caso não encontre… pode ser substituído por outro produto?
    Mais uma vez obrigada!

  3. Hum… eu fiz com amido de milho e amido de trigo e ficou mais borrachudo… depois q vc colocou no vapor ficou com uma casca seca? ou ficou bom pra comer ou congelar depois?

    Bjus

  4. Não, Nice. A casca ficou macia e um tanto quanto pegajosa, lembrando mesmo o mochi. Se fosse congelar, eu iria congelar ainda cru, sempre tenho receio de congelar amido. No Japão costumam acompanhar só com shoyu ou uma mistura de shoyu, vinagre e óleo de pimenta.
    O único porém é que achei meio pesado. Se fosse um gyoza com carne e vegetais, eu teria comido duas dúzias. Com essa massa e recheio só de camarão, não consegui comer muito, não.

  5. Fiz ontem a sua receita e funcionou! Como nao tinha um gauardanapo de algodao, forrei com papel manteiga… rs So achei q, depois com o tempo , a massa ficou meio quebradiça pra modelar, depois q esfriou, dai dei uma esquentadinha no microondas, 20 segundos e ficou elastica de novo.

  6. Juntei com uma prima que tem mão boa na cozinha.
    E experimentamos fazer agora a noite.

    Ganharam o apelido de Brutti ma Buoni.
    Ficaram deliciosos, a receita é excelente. Pena que ganharam um visual de monstrengos cozidos.
    Tenho “duas mãos esquerdas”, modelar o gyoza não foi fácil rs.
    Obrigado.

  7. Não se aborreça, Alexandre. Os meus primeiros gyozas também ficaram bem feios. E ainda preciso melhorar, apesar das dezenas de vezes que já fiz. E eu estou ensaiando umas novas receitas de gyozas na chapa…

  8. Eu iria sugerir papel manteiga, Nice, mas já tive trocentas decepções com algumas marcas. Achei que o pano seria mais acessível para o pessoal que me lê. Talvez folhas de bambu também servissem…
    Quanto ao ressecamento, isso é uma coisa mínima na quantidade de água. Como aqui o clima é sempre úmido, acho que contribuiu para a massa continuar elástica.

  9. Marisa… usamos tbm folhas de acelga ou, para enfeitar, rodelas de cenoura, dai colocamos o bolinho em cima… fica bonito, gostoso e pratico… rs

  10. Gostaria de saber aonde posso encontrar amido de trigo para comprar…moro em João Pessoa (PB) e por aqui é impossível achar. Já comprei no bairro da liberdade há uns 4 anos, mas agora não acho na Internet nenhuma loja que venda…alguma dica?

  11. Eduardo, eu não sei se as lojas da Liberdade enviam por Sedex. Provavelmente irei lá no sábado, vou perguntar e qualquer coisa, publico aqui, OK?

  12. Nice! quer disse que da para fazer com amido de milho e banha, mas eu não tenho microondas, pois acho que a radiação faz mal(como bater um raio X 50 vezes em um dia de brincadeira, e no futuro ter câncer de pulmão). poderia colocar duas vezes ou mais no vapor ate alcançar a textura adequada ou aceitável? pergunta para você Marisa Ono ou Nice, estou aberto a respostas.

  13. Olá.
    Eu testei com amido de milho e deu certo, ficou bem transparente..lindinho d +.
    Porque não encontrei o amido de trigo..muito difícil de encontrar.
    O molho que uso.para comer.junto.com a gyoza é o shoyu, limão, cheiro verde (salsinha e cebolinha picados) e gengibre é sensacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *