Imagem cedida pelo Studio Oz

Alho Negro na Bombay

Pinterest Master

  Pinterest

Doe Com Um Clique

Imprimir Imprimir

Brownie de Matcha e Chocolate Branco

matcha

Outro dia ganhei um pacotão de 400 gramas de matcha. Matcha é chá verde em pó mas não um chá qualquer. É um chá de qualidade superior, tratado de maneira distinta, de maneira a preservar a cor verde vibrante e o aroma delicioso. Nos últimos anos o Japão aumentou a exportação de seus chás de maneira bem significativa. Ou seja, o chá japonês e o matcha estão na moda.

Tradicionalmente esse chá em pó é utilizado na cerimônia do chá. Mas logo perceberam que rende doces incríveis. Rende bolos, biscoitos, mousses, sorvetes verdes e aromáticos.

Eu acho que matcha combina muito bem com leite e com chocolate. Juntei os dois em um brownie que ficou muito, muito bom. E apesar de estarmos acostumados a comer um doce assim que fica pronto, garanto: no dia seguinte, ficou ainda melhor, com uma umidade boa, melhorando a textura.

IMG_5567

120 gramas de manteiga sem sal

150 gramas de chocolate branco

2 ovos

150 gramas de açúcar

2 colheres de sopa de água quente

3 colheres de chá (cheias) de matcha

120 gramas de farinha de trigo peneirada

1 colher de chá de fermento químico em pó

Ganache

100 ml de creme de leite fresco

200 gramas de chocolate meio amargo (ou ao leite, se gostar de doce bem doce)

Aqueça a manteiga em uma panela, em fogo baixo, até derreter. Desligue o fogo

Adicione o chocolate branco picado e misture até derreter. Se necessário, leve ao banho-maria para derreter completamente.

Espere amornar um pouco e adicione os ovos, um a um, misturando bem.

Junte o açúcar e misture.

Dissolva o matcha na água quente. Passe por uma peneira para eliminar qualquer grumo e adicione ao creme e misture.

Por fim, junte a farinha e fermento em pó.

Despeje em uma forma retangular pequena (uns 30 e poucos centímetros de comprimento por uns 22 cm de largura), untada e polvilhada com farinha.

Leve ao forno aquecido, forno médio, até dourar levemente nas bordas, mas sem secar demais.

Espere esfriar e cubra com a ganache.

Aqueça o creme de leite em fogo baixo até quase ferver. Desligue o fogo. Adicione o chocolate picado e misture até derreter bem.

PS: Gostei do resultado mas acho que ficaria ainda melhor com algumas macadâmias, pela textura. Pode adicionar mais matcha mas acho que 3 colheres de chá cheias são suficientes.

Share This Post
Imprimir Imprimir

Batata Gratinada de 4 Ingredientes

IMG_5564

Batata gratinada é uma delícia, não? Acompanha bem assados, dá uma ar de comida de domingo. As pessoas acham que dá trabalho, toma tempo. Mas dá para fazer numa panela, no fogão e o tostado vem do maçarico. E só com 4 ingredientes.

IMG_5563

Batatas (usei Monalisa, das pequenas, ainda um pouco novas), cortadas em rodelas de mais ou menos 1,5 centímetros de espessura

Um pouco de manteiga

Leite

Sal

Acomode as rodelas de batatas numa panela, em uma camada só, sobrepondo-as levemente.

Cubra com leite, junte um pouco de manteiga (ou muito, dependendo do gosto e da dieta) e tempere com sal.

Leve ao fogo baixo até que as batatas fiquem bem macias. Se secar muito, adicione mais leite. O leite vai evaporar até formar um creme espesso e que lembra… creme de leite. Finalize com um maçarico e pronto.

Ou não leve ao fogo e sim ao forno. Vai demorar mais mas vai ganhar um belo dourado.

 

Share This Post
Imprimir Imprimir

Folhas de Alho

IMG_5568

Não sei se existe para comprar. Para quem tem um quintal ou um espaço para uma floreira, pode plantar. Basta enterrar dentes de alhos brotados, deixando um espaço de alguns centímetros entre eles e cuidar. É melhor que não tomem muito sol e não esqueça de regar sempre que a terra ficar seca. Em algumas semanas, com alguma sorte, poderá colher folhas longas e verdes de alho, que são deliciosos.

As folhas mais jovens são macias e possuem um aroma mais suave de alho. Ficam boas em refogados.

IMG_5569

Por exemplo: refogue carne cortada em tiras em um pouco de óleo. Adicione um bom punhado de folhas de alho cortadas em pedaços de uns 5 centímetros (umas duas xícaras, murcham bastante) até murchar e junte meio pacote de moyashi (250 gramas). Refogue até o moyashi perder o gosto de cru mas continuar crocante. Tempere com sal, molho de ostras (ou shoyu) e pimenta do reino. Pronto. Simples, fácil e saboroso, sem a necessidade de usar muitos temperos.

Se não encontrar folhas de alho, pode usar nirá (chamado às vêzes de alho japonês). Não é a mesma coisa, as folhas de alho são levemente adocicadas, o aroma é mais delicado mas funciona.

Vai para a categoria “Cozinha do Desespero” porque vai poucos ingredientes, gasta pouco tempo para preparar os ingredientes e ficar pronto.

Rende uma porção bem generosa para 2 pessoas e comi com arroz e uma sopa.

Share This Post
Imprimir Imprimir

Conserva de Folhas de Daikon

IMG_5552

Cozinha doméstica não é gastronomia. Pelo menos dentro da ideia geral que quase todo mundo tem sobre gastronomia, não? Não são pratos lindos, servidos em louça fina, com ingredientes nobres, técnica complexa e apurada. Na maioria das vezes é algo rápido, feito com ingredientes acessíveis e a uma das últimas preocupações é com a apresentação. Afinal, comer em casa implica em nutrir, economizar, aproveitar o que tem na geladeira ou dispensa… E é isso tudo que mais gosto. Fico me perguntando sempre o que as pessoas de países que não conheço jantarão hoje.

A conserva de folhas de nabo é considerado um prato de pobre. Eu enxergo de uma maneira bem mais simpática. O daikon (nabo japonês) é um vegetal que é aproveitado integralmente e de diversas maneiras. É um dos poucos vegetais disponíveis durante o inverno rigoroso. Pode ser comido cru, cozido, pode ser desidratado, transformado em conservas. O daikon alimentou e alimenta gerações, tanto em épocas de fome e guerra quanto em tempos de paz e prosperidade.  Olho para ele com carinho. E o engraçado é que quando criança, odiava.

IMG_5553

Pode ser feito com folhas de nabo (sim, aquelas que são descartadas, quase que sempre, nas feiras). Ou, para quem tem um punhado de terra, basta semear e esperar que cresçam. Em dado momento será necessário tirar algumas para “rarear” e sobrar espaço para que os outros cresçam. Os que sacrificamos, são lavados, picados e salgados. Amassamos um pouco com as mãos, coisa de 1 ou 2 minutos. No dia seguinte começamos a comer. É um pouco amargo, um pouco picante e muito bom com arroz.

 

Share This Post
Imprimir Imprimir

Abaixo Assinado a Favor da Horta Comunitária

Peço ajuda dos leitores. Uma horta comunitária na Lapa corre o risco de ser destruída, transformada novamente em um pedaço de terra abandonado, um ponto de descarte de entulho. Eu estive lá. Não é um jardim de Versailles, é um pedaço pequeno de terra com plantas medicinais, ervas aromáticas, flores, hortaliças.

A função de uma horta comunitária não é só produzir comida. Ela desestimula o descarte irregular de lixo, o que ajuda a evitar a proliferação de mosquitos e também tem uma função social, já que os vizinhos participam, se conhecem e interagem. De certa forma, ajuda a melhorar a segurança na rua também.

O apelo vem da Neide Rigo e a matéria toda está aqui:

http://come-se.blogspot.com.br/2015/03/abaixo-assinado-para-manter-horta.html

O link para o abaixo-assinado é este:

https://www.change.org/p/jos%C3%A9-ant%C3%B4nio-queija-libera%C3%A7%C3%A3o-das-hortas-em-pra%C3%A7a?recruiter=101838135&utm_source=share_petition&utm_medium=email&utm_campaign=share_email_responsive

Obrigada

 

Share This Post